Publicado em Esportes

Aliança Navegação e Logística utiliza a Lei do Esporte para apoiar o Instituto Passe de Mágica (IPM)

por em31 Janeiro 2018 167 acessos
  • .
Report ThisConteúdo Inadequado? Avise-nos

Criado há 13 anos pela medalhista olímpica de basquetebol, Maria Paula Gonçalves da Silva, a Magic Paula, o Instituto Passe de Mágica (IPM) sempre teve a proposta de utilizar o esporte para transformação da vida das pessoas, especialmente de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.  Atualmente, o IPM conta com 29 colaboradores e atua em Diadema, Piracicaba e São Paulo, realizando uma média de 900 atendimentos semanais em sete núcleos de atendimento.

Impressionada com os resultados apresentados pela instituição e seus impactos na conscientização da cidadania em regiões como Vila Sônia, Morumbi, Canhema, Portinari, Vila da Paz, Grajaú e Lapa, a Aliança Navegação e Logística, que possui uma tradição de investimentos em projetos sociais, decidiu apoiar esta causa. “Queremos contribuir para que crianças e jovens se desenvolvam de forma saudável e interativa, ampliando a autoestima e o sentimento de cidadania”, afirma Lourenço Malanga, responsável pela área de comunicação e marketing da Aliança Navegação e Logística.

Para apoiar o projeto financeiramente, a líder de cabotagem no Brasil utilizará como base a Lei nº 11.438, também conhecida como Lei do Esporte. Além de investir em um programa reconhecido pela credibilidade e pelos benefícios às comunidades em que atua, a Aliança poderá utilizar a sua logomarca em materiais de divulgação do Instituto Passe de Mágica, com a oportunidade de levar os funcionários para conhecerem os núcleos de atendimento. Os funcionários da empresa também poderão participar de uma palestra sobre o IPM e seu impacto social com o gestor do projeto, William Oliveira.

O Instituto Passe de Mágica contempla quatro pilares da educação: aprender a ser, conviver, fazer e conhecer. O resultado se reflete no fortalecimento da autoestima, na melhoria da convivência familiar, no desenvolvimento físico-esportivo e na orientação para o mercado de trabalho.

“Estamos muito felizes em apoiar um projeto que valoriza o desenvolvimento humano por meio da cultura da prática esportiva, além de fortalecer os vínculos entre as comunidades envolvidas e promover a qualidade de vida. A Aliança acredita que são projetos sociais como este que poderão transformar a realidade de várias famílias em situação de risco, contribuindo para um país mais igualitário”, destaca Julian Thomas, diretor superintendente da Aliança Navegação e Logística.