Publicado em Negócios

Navios da Aliança e da Hamburg Süd pagam taxas menores no Porto de Buenos Aires

por em21 Agosto 2017 113 acessos
  • .
Report ThisConteúdo Inadequado? Avise-nos

Divulgação Divulgação Divulgação

Buenos Aires, Agosto de 2017 – A sustentabilidade é uma das filosofias da Aliança e da Hamburg Süd, que contam com certificações importantes conquistadas pelo trabalho realizado para reduzir a emissão de gases com efeito estufa (GEE). A preocupação com os padrões de qualidade do ar também estão entre as prioridades dos principais portos do mundo, que assumiram um compromisso intitulado de “Iniciativa Climática Global dos Portos” (em inglês, World Ports Climate Initiative, WPCI). O objetivo é buscar ativamente a cooperação dos navios para reduzir as emissões de CO2.

Por acreditar nesta colaboração, o Porto de Buenos Aires decidiu reduzir algumas taxas dos navios da Aliança e da Hamburg Süd, que possuem certificados internacionais pela baixa emissão de poluentes. “A decisão do porto vizinho reforça o nosso compromisso com o meio ambiente, garantindo que as nossas embarcações atuem de forma eficiente e sustentável”, afirma Gustavo Biluca, Gerente de Procurement da Aliança Navegação e Logística para a região da América do Sul e Costa Leste.

Atualmente, os navios de contêineres têm os melhores resultados em termos de emissões de CO2 por Km TEU em comparação aos aviões de carga, caminhões, trens e balsas. Tanto que o grupo Hamburg Süd se comprometeu a reduzir as emissões de CO2 de sua frota em 45% até 2020, se comparado com o ano de 2009.

“A eficiência dos navios na operação diária é chave para o emprego de menor recursos. O chamado Slow Steaming, por exemplo, poupa até 40% do combustível com a redução da velocidade em quatro nós. Também estamos reduzindo o consumo energético de nossos contêineres refrigerados em mais 30% nas novas construções. Tudo isso porque a sustentabilidade é um componente imprescindível em nossa filosofia corporativa”, enfatiza Biluca.

Environmental Ship Index

Um dos projetos dentro do WPCI (Iniciativa Climática Global dos Portos) é o Environmental Ship Index (ESI), que identifica os navios que promovem redução das emissões atmosféricas acima das exigências previstas pelas normas de emissão da Organização Marítima Internacional. O ESI avalia a quantidade de óxido de nitrogênio (NOx) e óxido de enxofre (SOx), sendo um indicador perfeito do desempenho ambiental dos navios.

O índice é utilizado pelos portos para recompensar navios que participam do ESI e que assumem um papel de relevância na melhoria do ambiente marítimo e portuário. “Todas as partes interessadas no transporte marítimo podem usar o ESI como um meio para melhorar seu desempenho ambiental e como um instrumento para atingir seus objetivos de sustentabilidade”, complementa o executivo.

Sobre a Aliança Navegação e Logística

A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retomou o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, a cabotagem cresceu 7% em relação a 2015 e a expectativa para este ano é manter o ritmo de crescimento. Em 2016 foram movimentados 210 mil TEUs, o que significa um incremento de 15 mil TEUs em relação ao ano anterior.

A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas.

Sobre a Hamburg Süd

Hamburg Südamerikanische Dampfschifffahrts-Gesellschaft KG - Hamburg Süd está entre as dez maiores empresas de transporte marítimo de contêineres em todo o mundo. Com 116 navios de contêineres, capacidade física para mais de 600.000 TEUs e cerca de 50 serviços de linha, a empresa conta com 6.300 funcionários em 250 escritórios espalhados por todo o globo, garantindo que os clientes recebam soluções logísticas sob medida para suas necessidades específicas. O transporte de produtos frescos é uma competência essencial do grupo de transporte de cargas. A Hamburg Süd é um dos 5 maiores transportadores frigoríficos e está entre os líderes de mercado nas rotas comerciais Norte-Sul. Desde o final de 2014, a empresa também vem operando nas rotas comerciais Leste-Oeste. Fundada em 1871, a Hamburg Süd possui presença global como um armador de alta qualidade por meio de  sua subsidiária brasileira, Aliança, e sob a marca CCNI (Compañía Chilena de Navegación Interoceánica. Na categoria de transporte marítimo de cargas não regular (tramp shipping), a empresa opera graneleiros e petroleiros sob os nomes Rudolf A. Oetker (RAO), Furness Withy Chartering e Aliança Bulk (Aliabulk). Além de elevados padrões de qualidade, a atuação sustentável é uma parte fundamental da filosofia corporativa da Hamburg Süd. Para obter mais informações on-line, visite hamburgsud.com.