Tecnologia

 

Este estudo clínico é aprovado pelo “Programa de Responsabilidade Social da Stratasys”,

Corporate Social Responsibility (CSR) na sigla em inglês

Minneapolis, Minnesota (EUA) e Rehovot (Israel)— A Stratasys Ltd. (Nasdaq:SSYS), empresa de soluções de impressão 3D e manufatura aditiva, acaba de anunciar a abertura de inscrição de pacientes para o 3D Hearts Enabling A Randomized Trial” (3DHEART), um estudo investigativo do tipo randomizado cego sobre o uso de modelos de órgãos impressos em 3D, específicos de cada paciente, durante o período de planejamento pré-operatório para cirurgia cardíaca pediátrica. A Stratasys está oferecendo todo o apoio com equipamentos e materiais para produção dos modelos em 3D utilizados na experiência.

O estudo está sendo conduzido por médicos do Hospital Morgan Stanley para Crianças, instituição ligada ao Hospital New York-Presbyterian, do Children's Hospital de Filadélfia, do Children's National Medical Center e do Phoenix Children's Hospital, com até 20 sites adicionais nos Estados Unidos.

O estudo se centra em doentes pediátricos cardíacos congênitos que necessitam de reparação complexa de dois ventrículos. O desfecho primário em estudo é o tempo de circulação extracorpórea com desfechos secundários, incluindo a prevalência de complicações cirúrgicas (morbidade), mortalidade e avaliação médica de utilidade. O estudo é administrado pela OpHeart, organização sem fins lucrativos, cuja missão é melhorar as probabilidades e resultados para crianças nascidas com defeitos cardíacos com risco de vida.

"Este estudo é extremamente importante para finalmente quantificar o que é possível saber em primeira mão sobre a experiência de impressão 3D de modelos específicos de pacientes, com o objetivo de melhorar os processos cirúrgicos, seus resultados, além de proporcionar tratamentos com custos menores", explica o Dr. Yoav Dori, cardiologista pediátrico do Children's Hospital de Filadélfia. Segundo ele, se isso puder ser demonstrado empiricamente, será um marco da transformação no tratamento não só de crianças com defeitos cardíacos congênitos, mas dos pacientes em geral.

A amostra do estudo abrange 400 pacientes pediátricos. A Stratasys, uma das maiores fornecedoras de soluções de impressão 3D e manufatura aditiva avançada do mundo, teve sua impressora 3D Stratasys Connex, multicores e multimateriais, utilizada para a impressão de modelos cardíacos para 200 desses pacientes. Esses biomodelos baseiam-se nos exames de ressonância magnética ou tomografia computadorizada dos pacientes e permitem que o cirurgião avalie e pratique uma réplica precisa do coração antes da cirurgia. O estudo consiste em um comparativo dos benefícios do uso de biomodelos junto a estes 200 pacientes com os resultados de outros 200 indivíduos, que estão sendo tratados apenas com base nos resultados dos exames tradicionais em 2D.

"A Stratasys orgulha-se de integrar este estudo histórico que, pela primeira vez, fornecerá evidências de dados prioritários sobre os benefícios potenciais do uso de modelos de planejamento cirúrgico específicos dos pacientes, impressos em 3D. Por isso, estamos empenhados em avançar com nossas tecnologias para uma variedade de aplicações médicas, incluindo modelos anatômicos, protótipos de dispositivos médicos e protéticos", declara Scott Rader, gerente geral de Soluções de Saúde da Stratasys. De acordo com o executivo da Stratasys, reunir esse tipo de dados aumentará a conscientização sobre as vantagens que os clientes do setor de saúde já relatam individualmente, incluindo cirurgias melhor planejadas com tempos de recuperação mais rápidos.

Anne Garcia, diretora executiva da OpHeart, por sua vez, afirma que este estudo é verdadeiramente extraordinário por ser  um esforço conjunto da comunidade médica e da indústria. “Os médicos viram em primeira mão como a impressão 3D pode salvar vidas, mas não tinham, até agora, recursos para quantificar substancialmente as evidências anatômicas. Este estudo fará isso. Estou orgulhosa de trabalhar com um grupo tão dedicado de médicos e líderes da indústria para melhorar a vida de crianças, como minha filha. Agradeço a Stratasys por seu apoio inabalável", ressalta Anne Garcia, diretora executiva da OpHeart.

Outros depoimentos de apoio

  • Para Greg Reynolds, vice-presidente de Manufatura de Aditivos da Stratasys, é realmente uma honra contribuir para um estudo tão impactante com potencial de revolucionar o planejamento cirúrgico e mudar a vida dos pacientes para melhor. "Nós compreendemos a natureza crítica deste projeto e trabalhamos com os pesquisadores para desenvolver um processo de produção robusto e responsivo, que coloque estes modelos nas mãos dos cirurgiões dentro de três ou quatro dias em média", acrescenta Reynolds.
  • “A participação da Stratasys no estudo clinico da OpHeart é uma parte vital de nossas iniciativas do Programa de Responsabilidade Social (CSR) da Stratasys para auxiliar a moldar vidas e fazer a diferença, melhorando os procedimentos médicos, equipamentos e processos”, explica Arita Mattsoff, vice-presidente de Relações Públicas, Liderança de Pensamento e Responsável pela CSR da Stratasys. Ela acrescenta que o 3DHEART é um exemplo perfeito de iniciativa que ajuda a disseminar as aplicações avançadas em impressão 3D para melhorar, de modo expressivo, os resultados cirúrgicos.

Sobre a Stratasys

Por mais de 25 anos, a Stratasys (NASDAQ: SSYS) tem sido o principal player e a força determinante em impressão 3D e manufatura aditiva - moldando a forma como as coisas são feitas. Com sede em Minneapolis, no Estado de Minnesota, EUA, e em Rehovot, Israel, a empresa capacita clientes de uma ampla gama de mercados verticais, possibilitando novos paradigmas de design e fabricação. As soluções da empresa oferecem aos clientes liberdade de design e flexibilidade de fabricação inigualáveis ​​- reduzindo o tempo de lançamento de novos produtos no mercado e diminuindo os custos de desenvolvimento, ao mesmo tempo em que aprimora projetos e comunicações. As subsidiárias da Stratasys incluem MakerBot e Solidscape, e o portifólio da Stratasys inclui impressoras 3D para prototipagem e produção; uma ampla gama de materiais de impressão 3D; peças sob demanda por meio da Stratasys Direct Manufacturing; consultoria estratégica e serviços profissionais. Além disso, inlcui as comunidades Thingiverse e GrabCAD com mais de 2 milhões de arquivos 3D imprimíveis  gratuitos. Com mais de 2.700 funcionários e 1.200 patentes de manufatura aditiva concedidas ou pendentes, a Stratasys recebeu mais de 30 prêmios de tecnologia e liderança. Visite nosso site: www.stratasys.com, o http://blog.stratasys.com/ e siga-nos no LinkedIn.

GPCOM Comunicação Corporativa – Assessoria da Stratasys

Clezia Martins Gomes - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Giovanna Picillo

(11) 3129-5158

www.gpcom.com.br

As ferramentas para relatórios apresentam informações claras e acessíveis para simplificar, agilizar e fomentar a avaliação dos alunos

Lexington, KENTUCKY – 18 de abril de 2017 - A Lexmark International, Inc., líder global em tecnologias de impressão e imagem, anuncia hoje uma nova solução de educação para auxiliar os professores que atuam desde o jardim até o nível superior: o Lexmark Testing Assistant. 

O Lexmark Testing Assistant é uma solução, baseada em cloud, que permite aos professores importar diários de classe, criar folhas de respostas de testes, escanear e classificar as provas feitas pelos alunos, bem como exportar os resultados das provas para praticamente qualquer sistema de gerenciamento de aprendizado.

Esta solução da Lexmark é acessível de todos os browsers mais populares usados em PCs, Macs e tablets, bem como possibilita que os professores facilmente façam avaliações e enviem ícones digitalizados, usando um ícone de "classificação" em um Lexmark MFP

Ao usar a solução Lexmark Testing Assistant, os educadores podem imprimir seus próprios materiais de teste em papel comum e digitalizar as provas entregues pelos alunos, para somar os pontos automaticamente. Os resultados ficam disponíveis em minutos, juntamente com uma variedade de relatórios, que podem ser utilizados para uma análise precisa do desempenho dos alunos.

O Lexmark Testing Assistant está disponível nos distribuidores autorizados da Lexmark ou através do seu representante de vendas Lexmark

“Com o Lexmark Testing Assistant, as folhas de teste são impressas já com o nome e o número de identificação do aluno. Depois dos estudantes fazerem as provas, eu escaneio as folhas e as envio para a nuvem para que a solução Lexmark Testing Assistant faça as avaliações e gere os relatórios. O processo é muito rápido e economiza até uma hora na comparação com a realização manual das análises. Os relatórios me ajudam a ver onde os alunos estão e se estão com dificuldades em uma determinada área ou perderam um conceito. Com os relatórios em mãos, é muito mais fácil aferir quais devem ser os próximos passos”, afirma Chad Giannini, professor de Matemática da Macomb County, do Estado de Michigan.

Segundo Brock Saladin, vice-presidente sênior e diretor chefe de Receitas da Lexmark, a solução Lexmark Testing Assistant permite que os professores passem mais tempo com os estudantes e menos tempo sobrecarregados com papelada. "Por mais de 20 anos, a Lexmark tem ajudado as instituições de ensino a suprir as lacunas entre a impressão e a informação digital. Este novo software possibilita que professores e instrutores otimizem tempo e reduzam custos, garantindo maior apoio ao desenvolvimento do estudante", completa o executivo da Lexmark.

Sobre a Lexmark

Durante os últimos 25 anos, a Lexmark International, Inc. ofereceu ao mercado produtos de impressão e imagem inovadores, soluções de processos empresariais e serviços para clientes em mais de 170 países de todo o mundo. Cada um dos 13 mil funcionários da Lexmark é motivado a atender cada um dos clientes com total dedicação por meio da tecnologia líder da indústria e de serviços ao cliente de classe mundial. Em 2015, a Lexmark reportou mais de US$ 3.5 bilhões de novas licenças.

“Lexmark”, o logotipo Lexmark e “Open the possibilities” são marcas comerciais ou registradas da Lexmark International, Inc., registradas nos Estados Unidos e em outros países. Todas as outras marcas pertencem aos seus respectivos proprietários.

Para mais informações, visite www.lexmark.com.

Informações à imprensa

GPCOM Comunicação Corporativa

Clezia Martins (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

Fabio Aguiar (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

Giovanna Picillo –  Fone: (11) 3129-5158 - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

www.gpcom.com.br

 

Belo Horizonte, MG – abril de 2017 Em uma cerimônia oficial de assinatura em 8 de março, a Ramboll Environ, líder em engenharia, design e consultoria,  firmou um contrato de longo prazo com o Ministério Público Federal do Brasil (MPF) com o objetivo de remediar as consequências do pior desastre socioambiental já ocorrido no País.

A Ramboll irá avaliar e monitorar o trabalho da Fundação Renova na remediação dos danos sem precedentes causada pela ruptura da barragem da mina de minério de ferro da Samarco, em Mariana, Minas Gerais, em novembro 2015. O desastre matou 19 pessoas e causou danos ambientais, sociais e econômicos graves para a Bacia do Rio Doce. As perdas se estenderam aos estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

O Ministério Público Federal envolveu a Ramboll para garantir que a remediação, que inclui 41 programas (18 socioambientais e 23 sócioeconómico) estão sendo implementados como proposto pela Fundação Renova e que os resultados sociais, econômicos e ambientais prometidas serão realizados. O MPF conta também com a ampla experiência da empresa para avaliar os programas aprovados e propor qualquer correção adicional, restauração ou atividade de reconstrução, que considerar necessária para restaurar completamente a Bacia do Rio Doce, no mais curto espaço de tempo possível. A Ramboll fará também o monitoramento e relatará o progresso ao longo de todo o ciclo de vida do projeto.

Ramboll terá mais de 30 profissionais dedicados ao projeto. Além de sete especialistas internacionais em grande reparação de desastres, a equipe é composta por profissionais com  conhecimentos e experiência em ecologia, geologia, biologia, engenharia ambiental e civil, gestão de riscos, serviços ecológicos e avaliação socioambiental.

"Nós temos todas as disciplinas relevantes em casa e estamos em uma posição única para conduzir uma análise crítica e pormenorizada das ações propostas para determinar não apenas se os resultados prometidos podem ser alcançados, mas também se atenderá as expectativas dos reguladores, comunidades afetadas e o povo brasileiro", explica Eugenio Singer, diretor gerente de Meio Ambiente e Saúde da Ramboll no Brasil. Singer enfatiza ainda a importância deste tipo de monitoramento para assegurar que as ações corretivas são apropriadas e serão implementadas corretamente.

Neste projeto, o Ministério Público Federal será apoiado na coordenação pelos Ministérios Público do Estado de Minas Gerais e do Espírito Santo. Simultaneamente ao trabalho da Ramboll, o Instituto LACTEC se empenhará na avaliação da gravidade dos danos ambientais e o MPF pretende contratar outra empresa para avaliar os impactos socioeconômicos sobre municípios afetados.

Sobre a Ramboll
A Ramboll é uma empresa líder mundial em engenharia, design e consultoria, fundada na Dinamarca em 1945. Com quase 300 escritórios em 35 países, a Ramboll conta com 13.000 profissionais globalmente e tem forte representação especialmente nos países nórdicos, Reino Unido, América do Norte, Europa Continental, Oriente Médio e na região Ásia-Pacífico. A Ramboll trabalha nas seguintes áreas: Edifícios, Transportes, Urbanismo, Design, Água, Meio Ambiente, Saúde, Energia, Petróleo e Gás e Consultoria de Gestão.

Caso queria conhecer mais sobre a Ramboll Environ, entre no site: www.ramboll.com.

GPCOM Comunicação Corporativa

Clezia Martins Gomes - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Giovanna Picillo

(11) 3129-5158

www.gpcom.com.br

Ramboll Environ afirma que nova diretriz da Cetesb terá impacto positivo na gestão de áreas contaminadas

Consultoria ambiental participou de debate sobre as novas diretrizes, promovido recentemente pelo escritório Trench Rossi Watanabe, em São Paulo,  com a presença de 200 pessoas

As novas diretrizes para gestão de áreas contaminadas, definidas pela Cetesb por meio da Decisão de Diretoria (DD) nº 038, publicada em fevereiro de 2017, deverão contribuir para o aprimoramento dos processos de gestão de áreas contaminadas, exigindo profissionais melhor preparados e qualificados. A avaliação é do diretor de projetos da Ramboll Environ, Pedro Aronchi, que participou da mesa de debates do evento “Novas regras para o gerenciamento de áreas contaminadas”, promovido pelo escritório Trench Rossi, Watanabe, recentemente, em São Paulo.

O evento, que reuniu mais de 200 profissionais da área ambiental de grandes empresas, incluindo diversos clientes da Ramboll Environ, foi o primeiro após a edição da DD nº 038, realizado com o objetivo de discutir as novas regras com a participação da Cetesb, representada por Geraldo do Amaral Filho, Diretor de Controle e Licenciamento Ambiental da Cetesb, e Rodrigo Cunha, Engenheiro do Departamento de Áreas Contaminadas da Cetesb, além de advogados e especialistas.

“A atualização das diretrizes da Cetesb é positiva, e representa um momento de amadurecimento do mercado, incorporando procedimentos técnicos que já vinham sendo discutidos com o setor nos últimos anos”, afirmou o diretor de projetos da Ramboll Environ, uma das maiores empresas mundiais da área de consultoria, engenharia e design. Entre os pontos mais relevantes definidos pelas novas diretrizes, ele destacou o detalhamento técnico mais robusto da avaliação ambiental preliminar e a nova estrutura do plano de intervenção.

“A nova diretriz prevê que o representante legal terá a responsabilidade de atender o que está previsto no protocolo, sem a tradicional manifestação da agencia por meio de pareceres técnicos – com exceção de casos de mudança de uso ou áreas críticas. Isso agiliza os procedimentos, mas exige profissionais mais qualificados e consultorias que atuem em consonância com as novas regras”, destacou Pedro Aronchi.

As novas diretrizes reiteram ainda a exigência da lei estadual de áreas contaminadas, para contratação de seguro ambiental equivalente a 120% do valor do projeto, como forma de impedir que a remediação seja descontinuada por qualquer dificuldade da empresa responsável.

“No geral, a mudança é positiva para as consultorias e profissionais capacitados. Mas ainda é preciso entender como será a transição dos projetos em andamento e já protocolados”, observou Aronchi.

SOBRE A RAMBOLL

A Ramboll é uma empresa multinacional de consultoria, engenharia e design, com atividade multidisciplinar, que conta com 300 escritórios, instalados em mais de 35 países em todos continentes.  Atua nos mercados de Água, Energia, Petróleo & Gás, Transportes, Planejamento Urbano, Arquitetura e Construções e Gestão de Negócios. Em conjunto com a Environ, atua ainda em Meio Ambiente, Saúde e Segurança.

A Ramboll conta com mais de 12.800 colaboradores, entre engenheiros, designers e consultores, comprometidos com a criação de soluções sustentáveis e de longo prazo para os seus clientes e a sociedade. Recentemente, a empresa foi classificada entre as três principais empresas de "serviços ambientais" segundo pesquisa global do instituto independente de pesquisa Verdantix.

Caso queria conhecer mais sobre a Ramboll Environ, entre no site: http://www.ramboll-environ.com/.

INFORMAÇÕES À IMPRENSA:

GPCOM Comunicação Corporativa

Clezia Martins Gomes - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Giovanna Picillo

(11) 3129-5158

www.gpcom.com.br

Desde ontem e até sexta-feira (07/04), consumidor pode comprar moedas como peso mexicano, rand e dólar australiano ao menor preço do mercado

Viajar para países exóticos, que aliam atrações turísticas imperdíveis com baixos custos de estadia e alimentação, é uma opção que atrai cada vez mais brasileiros, e que pode ter um custo ainda menor se o consumidor souber escolher a moeda que vai levar. Para quem tem viagem marcada aos destinos exóticos, a Ourominas, empresa que atua no segmento de câmbio turismo e ouro, iniciou ontem e realiza até a próxima sexta-feira (07/07), uma promoção na venda de 14 moedas, que serão oferecidas ao menor preço do mercado.

“O ideal é que o viajante leve a maior parte do dinheiro na moeda do país que vai visitar, pois, se ele levar dólar ou euro, pode ter custos adicionais na troca pela moeda local, e ainda ficará sujeito à variação das cotações no outro país”, afirma Mauriciano Cavalcante, diretor de operações de câmbio da Ourominas, ao acrescentar que levar dólar e euro é aconselhável apenas para as compras no free shop.

Essas são algumas das opções mais vantajosas oferecidas pela Ourominas:

  • Peso novo mexicano – A moeda do México se encontra desvalorizada,além de ser a mais negociada na América Latina e a 13ª no mundo. Ótima oportunidade para conhecer as belas praias de Cancun ou a agitada vida noturna da Cidade do México.
  • Iene Quem for ao Japão vai entrar em contato com um sistema muito diferente de numeração de dinheiro. No país asiático, as notas de iene são divididas em 1.000, 2.000, 5.000 e 10.000. O real também tem uma alta valorização diante do iene.

                                                                                                                     O iene é uma das moedas mais desvalorizadas em relação ao real

  • Rand A moeda sul-africana é outra que está muito desvalorizada em comparação ao real. Ela também pode ser utilizada em outros países africanos (Lesoto e Namíbia). O turista poderá economizar ao fazer os famosos safáris e visitar os paraísos naturais que a África do Sul oferece.
  • Peso chilenoDono de algumas das mais belas paisagens da América do Sul, o Chile também passa por um momento de alta desvalorização da sua moeda. O viajante que for conhecer a bela Cordilheira dos Andes, ou qualquer outro ponto turístico, também terá que se familiarizar com a numeração diferente das notas, já que as cédulas vão de 500 até 20.000 pesos.

Outras opções que integram a promoção da Ourominas são:

  • Austrália e Nova Zelândia: a melhor opção, para quem vai à Austrália, Tasmânia e Papua Nova Guiné, é comprar o dólar australiano.  E para quem vai à Nova Zelândia, o dólar neozelandês. Essas moedas, em média, tem cotação 30% menor do que o dólar norte-americano.
  • América do Sul: comprar o peso argentino, uruguaio, chileno ou colombiano é uma opção melhor para quem visita os respectivos países da América Latina. O real é uma moeda mais valorizada do que essas moedas, garantindo uma viagem com melhor poder de compra local.
  • Ásia, Oriente e África: as moedas de países asiáticos disponíveis no mercado brasileiro incluem o yuan, da China; o shekel, de Israel. À exceção do shekel israelense, o real está mais valorizado do que essas demais moedas.

Serviço:

Algumas lojas da Ourominas na cidade de São Paulo:

Conjunto Nacional – Av. Paulista, 2.073, Horsa II, 12º andar, Tel.: 3218-0994

Edifício Dacon – Av. Cidade Jardim, 400, 17° andar, Tel.: 11 3085-3555

Shopping Light – Rua Coronel Xavier de Toledo, 23 - Centro - Loja 117 - 2º Piso; Tel.: 3259-1944

Central de Atendimento Ourominas: 0800-773-7732

Site: www.ourominas.com

Sobre a Ourominas

A Ourominas é uma empresa focada em soluções de ouro e moedas estrangeiras, e cujos diferenciais são praticar os melhores preços do mercado, ter uma diversidade de opções para efetuar as compras – através de site, central de atendimento ou lojas – e oferecer segurança nas entregas com o sistema delivery. A empresa vende e compra moedas e cartões pré-pagos de viagem; envia e recebe dinheiro de qualquer lugar do mundo; disponibiliza diversas modalidades de pagamento no comércio internacional; compra e vende ouro e certificados de ouro para pessoas físicas e empresas.

Informações à Imprensa:

GPCOM Comunicação Corporativa

Clezia Martins Gomes - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Caio Ramos - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Giovanna Picillo

(11) 3129-5158

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

www.gpcom.com.br

Ramboll Environ reúne especialistas para apresentar estratégias de descomissionamento de plataformas offshore, utilizando a técnica NEBA

Evento realizado em parceria com o escritório de advocacia Mattos Filho, no dia 27 de março, no Rio de Janeiro, contou com a presença de várias empresas do setor de óleo e gás interessadas em conhecer os ganhos ambientais proporcionados pelo método

O descomissionamento de poços e plataformas offshore, de forma eficiente e segura para o meio ambiente, é um dos principais desafios que os operadores do setor de Petróleo e Gás têm à frente no Brasil e em outros países. Para avaliar as melhores técnicas e estratégias de descomissionamento, a Ramboll Environ promoveu, em parceria com  o escritório de advocacia Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr e Quiroga Advogados, no último dia 27 de março, no Rio de Janeiro, o evento “Análise de riscos, valorização e restauração ecológica aplicada à indústria de Óleo e Gás”, que reuniu vários especialistas e representantes de empresas do setor.

“Desmontar, realizar o upgrade ou reaproveitar as plataformas offshore tornou-se um processo difícil e desafiador em face das novas regulamentações, requerendo conhecimento técnico para garantir segurança ambiental, sem tornar o processo muito oneroso”, afirma Eugenio Singer, presidente da Ramboll no Brasil.

Atualmente, estima-se que hajam 147 plataformas instaladas no País, das quais cerca de 80 com mais de 25 anos, ou seja, perto da idade de descomissionamento. Para atuar neste segmento, a Ramboll Environ treinou um time de especialistas na aplicação da técnica NEBA - Net Environmental Benefits Analysis (Análise dos Benefícios Ambientais Líquidos), reconhecida como a melhor metodologia na área.

Os benefícios proporcionados pela técnica NEBA ao descomissionamento das plataformas, em função da análise de risco aplicada à gestão ambiental, e também em processos de contenção de derramamento de óleo, foram apresentados no evento por Rick Wenning, da filial da Ramboll Environ em Portland, Maine nos EUA.

Como uma das maiores especialistas na análise NEBA a Ramboll é reconhecida com a conquista, no ano passado, do prêmio EA Awards, pelo trabalho inovador realizado para proteger os ecossistemas do Mar do Norte -, a Ramboll Environ mostrou que esta é uma técnica “ganha – ganha”, capaz de comparar alternativas para que a operadora possa garantir sucesso na tomada de decisão relativa ao descomissionamento das plataformas offshore.

“A metodologia NEBA é fundamental para definir qual é a melhor estratégia de descomissionamento, pois a desmontagem pode não ser a melhor solução”, explica Thereza Moreira, gerente de desenvolvimento de negócios, ao acrescentar que a decisão envolve a avaliação de fatores como o impacto ambiental, emissões atmosféricas, riscos de saúde e segurança, impactos sociais e nos recursos marinhos, gestão de resíduos, viabilidade técnica e financeira, entre outros aspectos.

Os benefícios da metodologia também têm sido contabilizados na gestão de riscos ecotoxicológicos e na valoração e restauração ecológicas aplicadas à indústria de Petróleo & Gás, segundo mostrou o especialista Pieter Booth, da Ramboll Environ em Seattle, USA. A aplicação da análise de NEBA, segundo ele, permite identificar os recursos que estão em risco em acidentes de derramamento de petróleo, contribuindo para evitar ou minimizar as consequências ambientais do derrame e construir a confiança de que o melhor ação em curso está sendo adotada, entre outros benefícios.

SOBRE A RAMBOLL

A Ramboll é uma empresa multinacional de consultoria, engenharia com abrangência multidisciplinar, que conta com 300 escritórios, instalados em mais de 35 países em todos continentes.  Atua nos mercados de Meio Ambiente e Saúde, Água, Energia, Petróleo & Gás, Transportes, Planejamento Urbano, Arquitetura e Construções Gestão de Negócios. .

A Ramboll conta com mais de 12.800 colaboradores das mais diversas áreas de atuação, , comprometidos com a criação de soluções sustentáveis e de longo prazo para os seus clientes e a sociedade. Recentemente, a empresa foi classificada entre as três principais empresas de "serviços ambientais" segundo pesquisa global do instituto independente de pesquisa Verdantix.

Caso queira conhecer mais sobre a Ramboll Environ, entre no site: http://www.ramboll-environ.com/.

 

INFORMAÇÕES À IMPRENSA:

GPCOM Comunicação Corporativa

Clezia Martins Gomes - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

(11) 3129-5158   www.gpcom.com.br

A Expoarroz, que acontece entre os dias 9 e 11 de maio em Pelotas/RS, já conta com diversos expositores confirmados. Entre eles estão três empresas voltadas para a produção e comercialização de grãos: Hadler & Hasse, de Pelotas/RS, SLC Alimentos, de Porto Alegre/RS e a Nelson Wendt Alimentos, de Pelotas/RS, que estarão expondo seus produtos aos visitantes do evento. A Expoarroz tem como objetivo estimular negociações e atrair novos investimentos para o setor de arroz, além de debater importantes temas relacionados a cultura orizícola com Fórum de Segurança Alimentar e Rodada de Negócios.

Entre os dias 9 e 11 de maio a cidade de Pelotas recebe a 5ª edição da Expoarroz. O evento tem como objetivo estimular negociações e atrair novos investimentos para o setor do arroz, além de debater importantes temas relacionados a cultura orizícola. Entre os expositores confirmados na Feira, que ocorre no Centro de Eventos da Fenadoce, estão empresas voltadas para a produção e comercialização de grãos.

Entre estes nomes está a Hadler & Hasse, empresa que atua na área de produção de arroz há 75 anos. Inicialmente fundada pelos amigos Elgar Hadler e Osmar Hasse, a Hadler & Hasse é focada na produção de sementes certificadas de arroz e soja, além de dedicar-se a pecuária de corte e ovinocultura. O grupo participa da Expoarroz desde a sua primeira edição e valoriza a exposição gerada pelo evento.

A SLC Alimentos também estará presente na 5ª edição da Expoarroz. Presente no mercado nacional há 16 anos, a empresa é considerada uma das maiores no segmento de arroz e feijão. A marca atua na industrialização e comercialização de grãos com uma diferenciada linha de produtos, desenvolvidos com a mais alta tecnologia. Entre as marcas mais populares está o arroz Namorado, principal destaque de seu portfólio.

Quem também trará seus produtos para Expoarroz 2017 é a Nelson Wendt, empresa fundada em 1964 ainda como um pequeno engenho voltado a industrialização de arroz. A busca por novas tecnologias no processo de parboilização foi um dos fatores determinantes para o crescimento da empresa que, hoje, é uma das maiores indústrias de beneficiamento de arroz do Brasil. Entre os destaques da marca está o Arroz Emoções, líder de vendas de arroz parboilizado no nordeste brasileiro. 

Comercialização
A Expoarroz 2017 é organizada pela Estima Mercado e promovida pela Bolsa Continental de Mercadorias. Informações sobre a comercialização de estandes podem ser obtidas pelo e-mail
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou 53 - 3025-6323.

SERVIÇO 
O que: Expoarroz 2017 - Do campo à mesa
Data: 9 a 11 de maio de 2017
Local: Centro de Eventos de Pelotas (Trevo de acesso, Av. Presidente João Goulart)
Horário: 14h às 21h | Visitação: gratuita
Site:www.expoarroz.com.br | Facebook: www.facebook.com/expoarroz?fref=ts

O Porto de Rio Grande é um dos patrocinadores da 5ª edição da Expoarroz, que acontece entre os dias 9 e 11 de maio, em Pelotas/RS. A feira, que acontecerá no Centro de Eventos da Fenadoce, aborda todos os temas do setor orizícola, além de aproximar empresas e novos clientes. “O Porto do Rio Grande faz parte da cadeia logística do arroz no Estado do Rio Grande do Sul e participar da Expoarroz é uma forma de apresentar as potencialidades de nosso porto para atrair novos clientes, aumentando a movimentação de cargas gerando emprego e renda para Rio Grande e o estado”, destacou o Diretor Superintendente do Porto do Rio Grande, Janir Branco.

De acordo com Branco, o Porto entende a importância de eventos como a Expoarroz e participa de outros importantes eventos do calendário nacional e internacional. “Acredito que a participação em feiras como a Expoarroz sejam necessárias para garantir visibilidade a empresa ou órgão público. É uma forma de encontrar parceiros e fomentar novos contatos em um mesmo espaço”, explica Branco. Ele também destacou que quer aproveitar o evento para apresentar a empresários e visitantes as potencialidades que a estrutura portuária de Rio Grande oferece. “Vamos mostrar que estamos preparados para atender todas as demandas e, também, que temos projetos futuros que irão garantir a competitividade de nosso Porto”, garantiu Branco.

Atualmente, o Porto do Rio Grande passa por uma obra de modernização em seu cais público. O processo, que está em andamento desde o final de 2014, é a única obra de infraestrutura portuária ocorrendo no país. “A obra está sendo executada pela Cejen Engenharia, com um contrato de R$ 97,1 milhões com o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Ao término, estarão modernizados 1.125 metros de cais, o que proporcionará agilidade e segurança na operação portuária”, disse o Diretor Superintendente.

Comercialização
A Expoarroz 2017 é organizada pela Estima Mercado e promovida pela Bolsa Continental de Mercadorias. Informações sobre a comercialização de estandes podem ser obtidas pelo e-mail

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou 53 - 3025-6323.

Criado para analisar dados que serão enviados a Receita Federal, a solução possibilita uma visão completa sobre gestão do patrimônio dos contribuintes, ajudando a identificar, com facilidade, os riscos que podem levá-los à malha fina

Este ano, a mordida do leão já tem data e hora marcadas: no final do dia 28 de abril encerra o prazo de entrega da declaração do imposto de renda. Mas há quem adie este momento ao máximo. Segundo um levantamento realizado no ano passado pelo Sindicato das Empresas de Contabilidade e de Assessoramento do Estado de São Paulo (Sescon/SP) junto ao setor, quase a metade das declarações é entregue na última hora, sobrecarregando os escritórios de contabilidade. Para os contadores que desejam efetuar a declaração do IR de seus clientes com o máximo de eficiência e, ao mesmo tempo, eliminar a possibilidade de erros, a tecnologia desenvolvida pela Wolters Kluwer, Divisão Fiscal e Contábil –Brasil pode ser uma aliada. O Analir Contador é uma solução exclusiva desenvolvida para dar eficiência a escritórios contábeis e profissionais liberais na análise da declaração do IRPF. A ferramenta lê e verifica em segundos os dados armazenados no programa da Receita Federal, facilitando a identificação de inconsistências. 

Além de oferecer um diferencial aos clientes que buscam a ajuda profissional para prestar as contas com a Receita Federal, o Analir Contador aumenta o valor agregado ao usuário e diminui os riscos na entrega. Com interface gráfica amigável e intuitiva, o software permite ao contador avaliar o histórico patrimonial e de fluxo de caixa do cliente e projetar suas declarações futuras com simulações financeiras, eliminando de vez as inseguranças. “Trata-se de uma solução eficiente, confiável e que otimiza a elaboração e entrega de declarações do IRPF. Com ele é possível fazer análises de caixa em poucos segundos, realizar simulações financeiras e acompanhar a evolução patrimonial dos clientes, obtendo um ganho em performance e diferencial de serviço”, afirma Roberto Regente Jr., CEO da Wolters Kluwer, Divisão Fiscal e Contábil –Brasil. Além de ferramentas operacionais, o sistema também conta com recursos para agendamento de compromissos e horários de entrevistas com os contribuintes; ajuda a controlar as pendências, enviando alertas para o responsável sobre documentos ou informações necessárias para o envio das declarações; e importa as fontes pagadoras de pessoas jurídicas, mais as doações, pagamentos e transferências dos valores dos bens do ano-base anterior.

Ferramenta elimina os riscos da malha fina

Uma das vantagens do Analir Contador é que, uma vez instalado, ele acessa automaticamente a base do programa da Receita Federal. “Durante o processo, o programa faz a leitura das informações, permitindo ao usuário se inteirar do status da declaração e antecipar se a mesma poderá ou não cair na malha fina da Receita”, destaca Regente.

A preocupação dos contadores em relação a eventuais erros na declaração do IR é justificada: só no ano passado, a Receita Federal identificou 716 mil declarações com problemas – muitas por inconsistências nas informações – e estas caíram na chamada malha fina. Segundo o órgão, somente os casos de deduções “suspeitas” no IR somavam 35 mil pessoas físicas e um total de R$ 303 milhões em impostos a serem lançados. Segundo os sindicatos de contabilidade de todo o país, a demanda pelo serviço de preparo das declarações chega a aumentar entre 30 e 40% nos meses de março e abril, época em que o prazo de entrega se encerra. “A falta de precisão pode prejudicar o contribuinte. E é justamente nisso que o Analir Contador auxilia ao contador, pois o programa ajuda a prevenir problemas e a reduzir possibilidades de erro”, diz Regente.

Sobre a Wolters Kluwer

A Wolters Kluwer N.V. (AEX: WKL) é líder global em serviços de informação e soluções para profissionais nos setores de saúde, impostos e contabilidade, risco e compliance, finanças e jurídico. Ajudamos nossos clientes a tomar decisões críticas todos os dias, fornecendo soluções especializadas que combinam um profundo conhecimento de domínio à tecnologia e serviços especializados.

A Wolters Kluwer registou, em 2016, uma receita de € 4,3 bilhões. Sediada em Alphen aan den Rijn, na Holanda, a empresa atende clientes em mais de 180 países, mantém operações em mais de 40 países e emprega 19 mil pessoas em todo o mundo.

As ações da Wolters Kluwer estão cotadas na Euronext Amsterdam (WKL) e estão incluídas nos índices AEX e Euronext 100. A Wolters Kluwer possui um programa patrocinado de American Depositary Receipt Nível 1, e os ADRs são negociados no mercado de balcão nos EUA (WTKWY).

Para mais informações sobre nossas soluções e sobre a organização, acesse www.wolterskluwer.com e Twitter, Facebook, LinkedIn, e YouTube.

Mais informações:

ADS Comunicação Corporativa (www.adsbrasil.com.br)

Contatos com:

Carol Herling – tel. 11 5090-3013 / 9.9553-7756 – e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Sílvia Balzan – tel. 11 5090-3014 / 9.9955-5318 – e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Especialista alerta para evitar riscos na indústria: 2017 é ano de transição entre recessão e recuperação
Publicado em Economia

Especialista alerta para evitar riscos na indústria: 2017 é ano de transição entre recessão e recuperação

Embora haja sinais de retomada do crescimento, planejamento é chave para sobreviver no mercado até o final da crise

Segundo dados recentes divulgados pelo Jornal O Globo, a retração do setor industrial diminuiu de 6,3% em 2015 para 3,8% em 2016. Embora o resultado ainda seja negativo, os percentuais indicam princípios de retomada econômica do setor. No entanto, ainda não é momento para arriscar, alerta o especialista Jorge Bahia, CEO do Grupo Bahia Associados.

Os anos de 2015 e 2016 foram sombrios para a produção industrial no Brasil. Entretanto, devido a algumas medidas econômicas adotadas pelo governo no segundo semestre de 2016, há expectativa de melhora. “PIBs, negativos em 2015 e 2016 não são bons alicerces para 2017, mas algumas ações econômicas no segundo semestre de 2016 foram início de preparação de um solo fértil aos exercícios seguintes. O setor industrial, por exemplo, apresenta tímida recuperação em alguns ramos”, afirma Bahia.

Em consequência às melhoras no panorama industrial, o comércio e o setor de serviços tendem a acompanhar a recuperação, e sucessivamente alavancar o fim da recessão. Entre os possíveis ganchos para essa mudança, o especialista indica: “O agronegócio é um oásis nesse deserto da crise, e setores industriais ligados diretamente a ele podem puxar essa recuperação”.

No entanto, atenções devem ser direcionadas ao controle do fluxo econômico e financeiro. Segundo o especialista, apesar de termos o aceno de recuperação tímida é necessário trabalhar bem o controle de pilares econômicos da atividade industrial.

Entre as dicas para manter estabilidade no momento, Bahia destaca: controle de fluxo de caixa quanto a evitar empréstimos trabalhando o máximo possível com recursos próprios, negociações de preços e prazos de pagamentos junto a fornecedores, controle rígido de estoques quanto a não ter desembolsos ou desencaixes antecipados, controle de despesas operacionais, entre outros, são itens fundamentais para a empresa  industrial ter sucesso na travessia de 2017.

É importante que o setor industrial esteja preparado para o fato de 2017 ser um ano de transição. Essa preparação deve ser bem entendida com relação à necessidade de ainda ocorrerem possíveis ajustes ou acertos nos mais variados setores.

“A recessão pela qual o país está passando é muito crítica. As políticas econômicas implementadas nos últimos anos foram degradadoras, não devemos esperar que as medidas recentemente implementadas tragam resultados imediatos. É necessário termos essa maturidade política para definirmos questões estratégicas de país e não ficarmos com propostas populistas e ilusionistas a cada quatro anos”, completa o especialista.

Fotos: https://goo.gl/9lYDLw

Sobre o Grupo Bahia Associados 

O Bahia Associados é constituído pelas empresas Bahia, Kósio & Associados Consultoria Empresarial Ltda., Bahia & Kosio Assessoria Contábil Ltda., Bahia & Almeida Gestão de Projetos Especiais Ltda. e Bahia Gestão de Atividades Administrativas e de Controle Ltda. Com um time de especialistas e estrategistas voltados à área econômica, financeira, contábil, fiscal e tributária, o grupo tem como proposta apresentar aos clientes um pacote de soluções indissociáveis, do qual faz parte a identificação de incentivos e benefícios fiscais e tributários, os efeitos econômicos e financeiros da operação, as melhores práticas de controles e informações contábeis para análise dos investidores, possíveis linhas de créditos e o efeito das mesmas no tempo, no fluxo de caixa das empresas, e nos seus resultados.

Atendimento à Imprensa:
ELDEVIK | Agência de Comunicação
Campinas • São Paulo • Brasil
19 3384.9336 | f: 19 98722.8001 (Tim)/ 19 98867.1281(Oi)

www.eldevik.com.br


Edvania Eldevik - Diretora de Conteúdo
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. |f: 19 98722.8001 (Tim)/ 19 98867.1281(Oi)

Isabella Levy - Assistente de Comunicação
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.| f: 19 99130.7361