Publicado em Tecnologia

Forcepoint destaca a cibersegurança centrada no Ponto Humano na Conferência Gartner Segurança & Gestão de Riscos 2017

por em07 Agosto 2017 197 acessos
  • .
Report ThisConteúdo Inadequado? Avise-nos

Forcepoint reforça a importância da aplicação de estratégias para proteger e analisar os cibercomportamentos resultantes da interação humana com a tecnologia da informação e dados críticos

 

Na Conferência Gartner Segurança & Gestão de Riscos 2017, que acontece em 8 e 9 de agosto, no Sheraton São Paulo WTC Hotel, em São Paulo, a Forcepoint, líder global em cibersegurança, apresentará métodos e estratégias para combater as ameaças internas ao focar no entendimento da intenção humana.

Em seu estande, a Forcepoint estará destacando como sua abordagem à segurança de um ponto de vista centrado em pessoas pode auxiliar as organizações a entender melhor os indicadores de comportamento normal e a detectar comportamentos anômalos ou comprometidos. Isso permite a empresas e agências governamentais abordar o que a Forcepoint chama de "O continuum de intenção cibernético", um modelo que classifica os usuários em um espectro de ameaças internas acidentais a comprometidas e mal-intencionadas. Um usuário pode transitar nesse espectro de maneira fluida dependendo de fatores externos, motivações e intenções, como insatisfação no trabalho, falta de processos ou falta de conhecimento.

“É justamente na interação entre pessoas, dados críticos de negócios e propriedade intelectual que a tecnologia é mais habilitadora e a segurança mais vulnerável, uma vez que um único ato malicioso ou acidental de um funcionário pode burlar até mesmo os sistemas de ciberdefesa mais robustos e abrangentes. Ameaças internas resultam de qualquer cenário, desde simples enganos até ações mal-intencionadas. A Forcepoint está ajudando as empresas a entender os comportamentos e as motivações das pessoas, de modo que elas estejam totalmente capacitadas a trabalhar, mas evitem cometer erros que levem à perda de propriedade intelectual e dados críticos de negócios", explica Adauto de Mello Jr., vice-presidente de vendas para a América Latina & Caribe da companhia.

Na recomendação da Forcepoint, ao aplicar programas centrados nas ameaças internas é possível entender toda a movimentação de dados em uma organização, além das atividades dos usuários para criar uma proteção adaptável aos riscos. Quanto mais camadas de proteção aplicarmos, mais eficaz será a segurança, uma vez que não existe um sistema que garanta 100% de proteção. É necessário fechar todas as brechas possíveis, trabalhar com a defesa e mais na contenção através das análises preditivas e comportamentais para ter uma consciência situacional direcionada às estratégias de cibersegurança, com melhores tomadas de decisões e mitigações dos riscos.

Fornecendo estatísticas do Relatório de Pesquisa do Ponto Humano, em que traça o perfil de diferentes tipos ameaças internas e fatores que ajudam a fornecer percepção sobre a intenção por trás do comportamento dos funcionários, a abordagem da Forcepoint é centrada em pessoas e as práticas recomendadas detalhadas preparam o setor de cibersegurança para enfrentar as ameaças mais complexas atuais e do futuro.

Hands on das soluções Insider Threat & CASB

Em um espaço dedicado nos dois dias da conferência, especialistas da Forcepoint estarão apresentando o hands on das soluções Data & Insider Threat e CASB:

  • Forcepoint Data & Insider Threat é uma solução abrangente que fornece visibilidade completa do usuário e análises avançadas para identificar o comportamento dos usuários com risco específico para seus dados mais críticos e propriedade intelectual. Permite o monitoramento do comportamento individual e interrompe as violações de dados com as políticas DLP líderes do setor, com alertas antecipados de ameaças maliciosas ou acidentais. Detecta e protege todos e quaisquer dados com impressões digitais avançadas, desde grandes bancos de dados até uma única instância de PII escondida em documentos.
  • As soluções Forcepoint CASB (Cloud Access Security Broker) identificam brechas de segurança, que passaram a existir com a alta utilização de serviços de nuvem. Permitem a obtenção da Governança das informações (Shadow Data) dentro das diversas aplicações em nuvem, políticas consistentes e controle de acessos por usuário, dispositivos corporativos ou dispositivos pessoais (BYOD), além de total visibilidade e controle granular das atividades dentro das aplicações e de pontos cegos criados por aplicações nuvem não homologadas pela empresa (Shadow IT).

Conferência Gartner Segurança & Gestão de Riscos 2017

8 e 9 de Agosto, no Sheraton São Paulo WTC Hotel

Sobre a Conferência Gartner Segurança & Gestão de Riscos 2017

A Conferência Gartner Segurança & Gestão de Riscos 2017 apresentará conteúdos com foco em segurança de TI, gestão de riscos, compliance e gestão de continuidade de negócios, além de analisar o papel dos profissionais de segurança da informação (CISO - Chief Information Security Officers). Cada programa oferece uma agenda diferenciada, incluindo sessões com analistas, palestras, mesas-redondas, estudos de caso, workshops e muito mais. Informações adicionaismestão disponíveis no site: http://www.gartner.com/events/la/security.

Sobre a Forcepoint

Forcepoint está transformando a cibersegurança ao focar no que mais importa: entender a intenção das pessoas ao interagir com os dados críticos onde quer que eles residam. Nossos sistemas robustos permitem às empresas capacitar os funcionários com livre acesso aos dados confidenciais, protegendo ao mesmo tempo a propriedade intelectual e simplificando a conformidade. Baseada em Austin, Texas, Forcepoint suporta mais de 20.000 organizações em todo o mundo. Para mais informações sobre Forcepoint, visite www.forcepoint.com e siga-nos no Twitter em @ForcepointSec.

Junte-se à Forcepoint nas redes sociais

Facebook: https://www.facebook.com/ForcepointLLC/

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/forcepoint

Twitter: https://www.twitter.com/forcepointsec

Instagram: https://www.instagram.com/forcepoint