Publicado em Tecnologia

NICE anuncia crescimento de receita de 35% no primeiro trimestre de 2017

por em12 Maio 2017 112 acessos
  • .
Report ThisConteúdo Inadequado? Avise-nos

As receitas recorrentes aumentaram significativamente, alcançando a marca de 64% da receita total no primeiro trimestre de 2017

Empresa aumenta orientação de lucro por ação (EPS)

HOBOKEN, N.J., maio de 2017 - A NICE (NASDAQ: NICE) anunciou seus resultados referentes ao primeiro trimestre de 2017, encerrado no dia 31 de março.

Destaques financeiros do primeiro trimestre de 2017

GAAP

Não GAAP

Crescimento de receita de 35% em relação ao ano anterior

Crescimento de receita de 36% em relação ao ano anterior

Lucro operacional de US$ 28 milhões, contra US$ 37 milhões no ano anterior

Lucro operacional de US$ 74 milhões - aumento de 27% em relação ao mesmo período ano anterior

Taxa de imposto efetiva de 8,8%, contra 14,5% no mesmo período do ano anterior

Taxa de imposto efetiva de 23,2%, contra 19,5% no mesmo período do ano anterior

Lucro por ação (EPS) proveniente de operações contínuas de US$ 0,28, contra US$ 0,58 no mesmo período do ano anterior

Lucro por ação proveniente de operações contínuas de US$ 0,89, contra US$ 0,81 no mesmo período do ano anterior

Fluxo de caixa proveniente das operações aumentou 16%, alcançando a marca de US$ 133 milhões

“Estamos muito satisfeitos com os resultados do primeiro trimestre de 2017”, disse Barak Eilam, da NICE. “A receita não-GAAP aumentou 36% e o lucro operacional não-GAAP aumentou 27% em relação ao mesmo período do ano anterior. Também ficamos muito satisfeitos por ver um aumento substancial em nossas receitas recorrentes. Agora que as receitas recorrentes representam quase dois terços da nossa receita total, acabamos ganhando ainda mais confiança e visibilidade sobre os negócios”.

Barak Eilam prosseguiu: “O sólido desempenho financeiro alcançado neste trimestre é resultado do bom progresso que temos testemunhado em nossos quatro pilares estratégicos: nuvem, omnicanal, gestão analítica e inteligência artificial. Como resultado, ganhamos bastante força, especialmente em nossas soluções de gestão analítica, onde registramos amplo volume de grandes negócios. Além disso, estamos muito satisfeitos com o progresso da integração da inContact, e temos visto um impulso acelerado em nossos negócios de nuvem”.

Destaques financeiros GAAP do primeiro trimestre, encerrado em 31 de março:

Os dados financeiros GAAP a seguir, exceto fluxo de caixa e saldo de caixa, são provenientes de operações contínuas, excluindo-se os resultados das divisões de Inteligência e Segurança Física em 2017 e 2016.

Receitas: as receitas totais do primeiro trimestre de 2017 aumentaram 35,3%, alcançando o montante de US$ 305,6 milhões, contra os US$ 226,0 milhões registrados no mesmo período do ano anterior.

Lucro bruto: o lucro bruto do primeiro trimestre de 2017 aumentou para US$ 189,9 milhões, comparado aos US$ 151,5 milhões registrados no mesmo período do ano anterior, e a margem bruta foi de 62,1%, comparada aos 67,0% registrados no primeiro trimestre de 2016.

Lucro operacional: o lucro operacional e a margem operacional do primeiro trimestre de 2017 foram de US$ 27,9 milhões e 9,1%, respectivamente, comparados a US$ 37,5 milhões e 16,6%, respectivamente, no mesmo período do ano anterior.

Lucro líquido proveniente de operações contínuas: o lucro líquido e a margem líquida do primeiro trimestre de 2017 foram de US$ 17,3 milhões e 5,7%, respectivamente, comparados aos US$ 35,3 milhões e 15,6%, respectivamente, registrados no mesmo período do ano anterior.

Lucro por ação proveniente de operações contínuas: o lucro por ação referente ao primeiro trimestre de 2017 foi de US$ 0,28, comparado à marca de US$ 0,58 registrada no mesmo período do ano anterior.

Fluxo de caixa operacional e saldo de caixa: o fluxo de caixa operacional do primeiro trimestre de 2017 foi de US$ 132,7 milhões. No primeiro trimestre, US$ 8,4 milhões foram utilizados para recompra de ações. Até 31 de março de 2017, o caixa total e os equivalentes de caixa, os investimentos de curto prazo e os títulos e valores mobiliários comercializáveis eram de US$ 388,7 milhões, e a dívida total era de US$ 441,5 milhões.

Destaques financeiros não GAAP do primeiro trimestre, encerrado no dia 31 de março:

Os dados financeiros não GAAP a seguir são provenientes de operações contínuas, excluindo-se os resultados das divisões de Inteligência e Segurança Física em 2017 e 2016.

Receitas: as receitas totais não GAAP do primeiro trimestre de 2017 foram de US$ 308,0 milhões - um aumento de 36,2% em relação aos US$ 226,1 milhões registrados no mesmo período do ano anterior.

Lucro bruto: o lucro bruto não GAAP do primeiro trimestre de 2017 aumentou para US$ 215,2 milhões, comparado aos US$ 159,7 milhões registrados no mesmo período do ano anterior, e a margem bruta não GAAP foi de 69,9%, comparada aos 70,6% registrados no primeiro trimestre de 2016.

Lucro Operacional: o lucro operacional não GAAP do primeiro trimestre de 2017 aumentou para US$ 73,6 milhões, comparado aos US$ 57,8 milhões registrados no mesmo período do ano anterior, e a margem operacional não GAAP foi de 23,9%, comparada ao 25,6% registrados no primeiro trimestre de 2016.

Lucro líquido proveniente de operações contínuas: o lucro líquido não GAAP do primeiro trimestre de 2017 aumentou para US$ 55,1 milhões, comparado aos US$ 49,6 milhões registrados no mesmo período do ano anterior, e a margem líquida não GAAP foi de 17,9%, comparada ao 21,9% registrados no primeiro trimestre de 2016.

Lucro por ação proveniente de operações contínuas: o lucro por ação totalmente diluído não GAAP do primeiro trimestre de 2017 aumentou em 9,9%, alcançando a marca de US$ 0,89, em comparação com os US$ 0,81 registrados no mesmo período do ano anterior.

Direcionamento para o segundo trimestre e o exercício completo de 2017:

Segundo trimestre de 2017: as receitas totais não GAAP do segundo trimestre de 2017 devem ficar entre US$ 309 milhões e US$ 319 milhões. O lucro por ação não GAAP do segundo trimestre de 2017 deve ficar entre US$ 0,84 e US$ 0,90.

Exercício completo de 2017: reiterou-se a previsão de que as receitas totais não GAAP do exercício completo de 2017 devam ficar entre US$ 1.330 milhões e US$ 1.354 milhões. Os lucros por ação não GAAP do exercício completo de 2017 devem aumentar, ficando entre US$ 3,85 e US$ 4,05.