Publicado em Tecnologia

O que você deve saber antes de mudar para o aprendizado "flipped"

por em06 Setembro 2017 46 acessos
  • .
Report ThisConteúdo Inadequado? Avise-nos

Por Juan Lucca, Vice-presidente de Vendas na América Latina da D2L

 

"Flipped classroom", ou sala de aula intertida, em uma tradução livre, é um termo criado há 10 anos por Jonathan Bergmann e Aaron Sams, dois professores de química da Woodland Park High School em Woodland Park, Colorado/Estados Unidos. Para ajudar os alunos a não perderem nenhum conteúdo, Bergmann e Sams desenvolveram uma solução capaz de gravar e depois compartilhar o conteúdo das aulas, assim os alunos podem ver tudo em casa antes de irem para escola. Com isso, os professores alcançaram o objetivo de usar o período da aula para trabalhar em projetos, verificar o conhecimento adquirido e responder dúvidas.

O conceito básico desse modelo é que a instrução direta é efetiva quando personalizada. Os alunos podem acessar as informações em horários e locais que não exigem a presença física do professor e, como eles já estão familiarizados com o material no começo da aula, podem aproveitar o tempo colaborando com o professor e outros alunos para solidificar o entendimento, individualmente ou em grupos pequenos.

Um dos benefícios mais centrais ao adotar os métodos de aprendizagem "flipped" é que os alunos podem aprender mais e reter melhor a matéria aprendida. Como eles têm mais domínio do processo de aprendizagem e recebem feedbacks mais frequentes, podem obter um entendimento mais completo do conteúdo. Além disso, as aulas que incorporam a aprendizagem "flipped" oferecem mais oportunidades de interação e aprendizado com outros alunos. Através da orientação dos professores, eles trabalham juntos para solucionar problemas e aplicar novos conceitos.

Os alunos são diferentes entre si, cada um tem suas próprias características, capacidades, habilidades, competências e motivações. Por isso o ensino não pode ser focado em um modelo únicode aluno, porque isso não existe. Para oferecer suporte ao desenvolvimento do potencial máximo de todos, a personalização é fundamental e, com uma "flipped classroom", os educadores têm uma opção para fornecer aos alunos a atenção que eles merecem.

As "flipped classrooms" incluem todos os ciclos de aprendizagem:

Conhecimento: ser capaz de se lembrar das informações aprendidas anteriormente.

Entendimento: ter domínio do que foi aprendido e ser capaz de apresentar as informações de diferentes modos.

Aplicação: aplicar as habilidades aprendidas em novas situações.

 

É possível que o aprendizado "flipped" encoraje o interesse do aluno em aprender sozinho ao usar novas tecnologias que chamam a sua atenção, como plataformas ou dispositivos que possibilitam a visualização do conteúdo fornecido pelo professor. Assim, o aluno se torna o centro do seu próprio processo de aprendizagem visto que pode revisar os tópicos ou matérias difíceis. Eles podem inclusive acessar o conteúdo de qualquer local.

Em um modelo de aprendizado "flipped", o tempo em sala de aula é dedicado a explorar tópicos mais profundamente e criar oportunidades de aprendizado mais enriquecedoras. Como resultado, os alunos se envolvem ativamente na construção do conhecimento à medida que participam e avaliam seu aprendizado.

O aprendizado "flipped" reformula a função dos instrutores e dos alunos, transformando as relações em sala de aula. Ele também oferece vários modos de consumir conteúdo usando tecnologia. Por exemplo, alguns alunos respondem melhor quando veem um vídeo, enquanto outros se beneficiam da leitura de um texto.

Outro aspecto a ser considerado é a massificação das mídias sociais. A urgência da comunicação é a base que desenvolveu o aprendizado colaborativo reforçado pelo sentimento de pertencimento a um grupo ou uma comunidade. Com essa tendência, as comunidades ou ambientes de aprendizado foram criados influenciando os alunos, bem como as instituições educacionais.

Somente o tempo mostrará se o aprendizado "flipped" mudará permanentemente a sala de aula. Tudo está relacionado a criar oportunidades para o engajamento ativo.