Transporte
Divulgação
Publicado em Transporte

São Paulo, dezembro de 2017 – A Aliança Navegação e Logística, líder no transporte de cabotagem, acaba de renovar por mais um ano o apoio financeiro ao Hospital Pequeno Príncipe de Curitiba e Hospital de Câncer de Barretos – ambos são referência na área de saúde no Brasil.

No caso do Hospital de Câncer de Barretos, atualmente chamado de Hospital de Amor, o apoio da Aliança é focado 100% na terceira idade. Excelência em oncologia, o hospital registra 4.000 atendimentos/dia, 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Acolhe pacientes de todo o Brasil, com profissionalismo e humanização, que é o grande diferencial da instituição. O apoio da Aliança ao projeto contribui para o desenvolvimento de planos, programas e projetos voltados para os idosos no município no interior de São Paulo.

Para Lourenço Malanga, responsável pela comunicação da Aliança, “são ações desse tipo que nos dão muito orgulho em apoiar, pois trazem vários benefícios para toda a sociedade, contribuindo para um mundo melhor”.
Já no Hospital Pequeno Príncipe de Curitiba, a Aliança investirá no Projeto “PELO DIREITO À VIDA II”, que visa promover a saúde da criança e do adolescente através da assistência, ensino, pesquisa e mobilização social.

Para Julian Thomas, diretor superintendente da Aliança Navegação e Logística, a empresa acredita que a solidariedade é o melhor caminho para que as empresas se mobilizem em prol das comunidades em que estão inseridas - de forma direta ou indireta.

“É muito bom chegar ao final do ano e comemorar os resultados que vão além dos ganhos financeiros. A empresa quer reforçar junto à equipe a importância de investir em projetos sociais que possam transformar a realidade de muitas pessoas. Todos ganham em iniciativas como esta: os pacientes, que podem ser atendidos com mais agilidade; os familiares, que podem acompanhar de perto a evolução do tratamento, além das empresas que contam com deduções fiscais e podem investir, cada vez mais, em projetos desta natureza”, destaca o executivo.

Os dois contratos de apoio financeiro aos hospitais têm validade até dezembro de 2018.

Sobre a Aliança Navegação e Logística
Fundada em 1950, a Aliança Navegação e Logística integra o grupo Hamburg Süd, que agora faz parte da Maersk Line, a maior empresa de transporte de contêineres do mundo. Em 1999, a Aliança retomou o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais. Recentemente, a Aliança recebeu dois novos navios de 3.800 TEUs para substituir duas embarcações de 2.500 TEUs, o que permitirá um incremento de capacidade semanal da ordem de 20%.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma ampla carteira de clientes em praticamente todos os segmentos do mercado. No ano passado, obteve um faturamento de R$ 3,3 bilhões e movimentou 673 mil contêineres.

Assessoria de Imprensa
DFREIRE Comunicação e Negócios - www.dfreire.com.br
Contatos:
Élida Gonçalves – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Luciana Abritta – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Debora Freire – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Tel. (11) 5105-7171

São Paulo, novembro de 2017 – A Aliança e a Hamburg Süd, em parceria com as escolas de formação de Oficiais da Marinha Mercante no Brasil, embarcaram somente neste ano 11 alunos nos navios de Longo Curso, além de mais de 45 pessoas nos navios de Cabotagem. Denominados ‘Praticantes’, os alunos embarcados foram divididos em três turmas.

Como regra, para que os Praticantes se tornem Oficiais da Marinha Mercante, eles devem permanecer por três anos na escola de formação e realizar um ano de praticagem a bordo de um navio. Atualmente, a Aliança oferece aos alunos um plano de ‘estágio’ de 12 meses, passando por navios de diferentes classes e empregados em diferentes rotas nos serviços de Cabotagem e Longo Curso.

Nas atividades a bordo, cada praticante realiza funções compatíveis com sua formação. Ana Carolina Santiago, Coordenadora de Tripulação da Aliança e da Hamburg Süd afirma: “É uma honra poder participar da formação desses novos profissionais. Com essa experiência, o futuro Oficial da Marinha Mercante terá uma visão mais ampla em relação às rotinas de bordo, além de contar com mais propriedade para exigir e conferir as atividades executadas por ele e por sua equipe”.

Mariano Cardoso, Praticante de Máquinas, foi um dos alunos embarcados este ano. Ele teve a oportunidade de conhecer dois navios: o Monte Tamaro (Hamburg Süd) e o Fernão de Magalhães (Aliança). “Nos dois navios consegui executar as mesmas ações compatíveis com minha função. A experiência com tripulação mista foi algo muito positivo, pois além de melhorar a prática da língua inglesa, consegui aprender um pouco mais sobre os termos técnicos utilizados no dia a dia”, comenta Cardoso.

Sobre a Aliança Navegação e Logística
A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retomou o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, a cabotagem cresceu 7% em relação a 2015 e a expectativa para este ano é manter o ritmo de crescimento. Em 2016 foram movimentados 210 mil TEUs, o que significa um incremento de 15 mil TEUs em relação ao ano anterior.

A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas.

Sobre a Hamburg Süd
Hamburg Südamerikanische Dampfschifffahrts-Gesellschaft KG - Hamburg Süd está entre as dez maiores empresas de transporte marítimo de contêineres em todo o mundo. Com 116 navios de contêineres, capacidade física para mais de 600.000 TEUs e cerca de 50 serviços de linha, a empresa conta com 6.300 funcionários em 250 escritórios espalhados por todo o globo, garantindo que os clientes recebam soluções logísticas sob medida para suas necessidades específicas. O transporte de produtos frescos é uma competência essencial do grupo de transporte de cargas. A Hamburg Süd é um dos 5 maiores transportadores frigoríficos e está entre os líderes de mercado nas rotas comerciais Norte-Sul. Desde o final de 2014, a empresa também vem operando nas rotas comerciais Leste-Oeste. Fundada em 1871, a Hamburg Süd possui presença global como um armador de alta qualidade por meio de  sua subsidiária brasileira, Aliança, e sob a marca CCNI (Compañía Chilena de Navegación Interoceánica. Na categoria de transporte marítimo de cargas não regular (tramp shipping), a empresa opera graneleiros e petroleiros sob os nomes Rudolf A. Oetker (RAO), Furness Withy Chartering e Aliança Bulk (Aliabulk). Além de elevados padrões de qualidade, a atuação sustentável é uma parte fundamental da filosofia corporativa da Hamburg Süd. Para obter mais informações on-line, visite hamburgsud.com.

Assessoria de Imprensa
DFREIRE Comunicação e Negócios (11)  5105-7171     www.dfreire.com.br
Élida Gonçalves –
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Luciana Abritta – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Débora Freire – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

São Paulo, novembro de 2017 – O Aliança Minuano, primeiro rebocador portuário da Aliança Navegação e Logística batizado no mês de junho deste ano, começou a operar no Porto de Itapoá no último sábado (4). Considerada de última geração e adequada para navios cada vez maiores, a embarcação com 32 metros de comprimento tem uma capacidade de tração estática de 70 toneladas bollard pull.

O Aliança Minuano foi batizado pela funcionária Dalva Negretti, coordenadora na Aliança Navegação e Logística. Ela atua na empresa há 35 anos e foi indicada pela diretoria como uma homenagem à dedicação da funcionária, que se aposenta em outubro.

No mês de setembro, a empresa batizou seu segundo rebocador, o Aliança Aracati, foi batizado pela funcionária da área financeira do escritório de Salvador, Virginia Nascimento, que está na empresa há 34 anos. Um novo rebocador da mesma série, o Aliança Pampeiro, será entregue até o final do ano e outros quatro, de uma linha ainda mais moderna, estarão disponíveis ao longo de 2019. Todos os rebocadores serão operados diretamente pela Aliança.

Os demais rebocadores também serão batizados por funcionárias com mais tempo de casa e com histórias que servem de inspiração para toda a empresa.

Sobre a Aliança Navegação e Logística

A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retoma o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, obteve um faturamento de R$ 3,3 bilhões e movimentou 673 mil contêineres.

A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas.

Assessoria de Imprensa
DFREIRE Comunicação e Negócios - www.dfreire.com.br
Contatos:
Élida Gonçalves – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Luciana Abritta – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Debora Freire – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Tel. (11) 5105-7171

Divulgação
Publicado em Transporte

Rio de Janeiro, setembro de 2017 – A Aliança Navegação e Logística, líder em cabotagem no Brasil, acaba de doar um contêiner de 40 pés para a Universidade Federal Fluminense (UFF), que transformará o espaço em um laboratório sustentável, com utilização de energia solar, sistema de captação de água da chuva e telhado verde.

“Estávamos com dificuldades para instalar um laboratório físico, especialmente na situação econômica atual, em que as agências de fomento estão cortando todos os apoios à área de Pesquisa e Desenvolvimento. A doação da Aliança foi de extrema importância para prosseguirmos com nosso projeto sustentável”, afirma o Prof. Dr. Newton Narciso Pereira, da Escola Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda (RJ).

“Esperamos que o contêiner possa contribuir para a montagem de um laboratório de ponta, que certamente se destacará pelo aspecto sustentável e inovador”, destaca Oscar Calderon, gerente de equipamentos logísticos (Logistics Equipment Manager - South America East Coast) da Aliança/ Hamburg Süd.

A Aliança Navegação e Logística possui um programa de responsabilidade social, que inclui a doação de contêineres para projetos importantes em várias localidades. Recentemente, a empresa realizou a entrega de contêiner de 40 pés para a Marinha do Brasil em Manaus. Em abril, a empresa promoveu durante a Intermodal uma ação para selecionar o projeto que, segundo os visitantes do evento, deveria receber um contêiner como doação.

Outra doação recente foi realizada para o Grupo de Apoio à Prevenção da AIDS, GAPA, em Santa Catarina. O objetivo é utilizar o contêiner como apoio para os materiais de conscientização e prevenção à doença. Por ano, são 12 mil pessoas atendidas, contando os serviços prestados na sede, nas comunidades e palestras sobre prevenção.

Sobre a Aliança Navegação e Logística
A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retomou o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, a cabotagem cresceu 7% em relação a 2015 e a expectativa para este ano é manter o ritmo de crescimento. Em 2016 foram movimentados 210 mil TEUs, o que significa um incremento de 15 mil TEUs em relação ao ano anterior.

A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas.

Assessoria de Imprensa
DFREIRE Comunicação e Negócios - www.dfreire.com.br
Contatos: (11) 5105-7171
Élida Gonçalves – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Luciana Abritta – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Débora Freire – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Divulgação
Publicado em Negócios

Itajaí, 6 de outubro de 2017 - A Aliança Navegação e Logística batizou, hoje, no Estaleiro Detroit Brasil, em Itajaí (SC), seu segundo rebocador portuário, o Aliança Aracati. A cerimônia de batismo do primeiro da série, o Aliança Minuano, foi realizada em junho.

Considerada de última geração e adequada para navios cada vez maiores, a embarcação com 32 metros de comprimento tem uma capacidade de tração estática de 70 toneladas bollard pull. Um novo rebocador da mesma série, o Aliança Pampeiro, será entregue até o final do ano e outros quatro, de uma linha ainda mais moderna, estarão disponíveis ao longo de 2019. Todos os rebocadores serão operados diretamente pela Aliança.

O Aliança Aracati foi batizado pela funcionária da área financeira do escritório de Salvador, Virginia Nascimento, que está na empresa há 34 anos. “Esta é mais uma forma de valorizar colaboradoras com tantos anos de casa e que muito contribuíram para o desenvolvimento da empresa ao longo deste período”, afirma José Roberto Salgado Sobrinho, diretor da Aliança Navegação e Logística.

De acordo com o executivo, a Aliança sempre busca agregar valor aos serviços prestados e, certamente, os rebocadores irão ajudar neste propósito. “Existe uma demanda para embarcações como esta e estamos gerando mais oportunidades para desenvolver a indústria naval no Brasil”, destaca Salgado. “Estimulamos o empreendedorismo no Brasil em todas as frentes”, acrescenta.

            Para Salgado, o mercado precisa de rebocadores de maior porte e há potencial para expansão no Brasil. “Como é uma área em que não atuamos diretamente, a Aliança fechará acordos operacionais com empresas já estabelecidas no mercado para a comercialização dos serviços destas embarcações”, explica o executivo.

Os três rebocadores da mesma série custarão R$ 90 milhões.

Sobre a Aliança Navegação e Logística

A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retomou o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, a cabotagem cresceu 7% em relação a 2015 e a expectativa para este ano é manter o ritmo de crescimento. Em 2016 foram movimentados 210 mil TEUs, o que significa um incremento de 15 mil TEUs em relação ao ano anterior.

A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas.

São Paulo, setembro de 2017 – A prática de exercícios é fundamental para garantir um estilo de vida mais saudável. Com o intuito de promover essa prática entre seus colaboradores, a Aliança Navegação e Logística participará da  25ª Maratona Pão de Açúcar de Revezamento São Paulo, no dia 24 de setembro. Ações como essa são contínuas na empresa, pois além de promover o bem estar, ainda é possível incentivar a integração entre todos os funcionários.

A Maratona, que faz parte do ‘Circuito das Corridas Pão de Açúcar e Nescau’, terá a largada às 7 horas na Avenida Pedro Álvares Cabral, próxima ao Obelisco do Ibirapuera. Composta por três modalidades - equipes com dois participantes, quatro e oito atletas -, a maratona tem duração máxima de cinco horas. Cerca de 80 colaboradores da Aliança participarão do evento.

Mais informações sobre a prova podem ser obtidas no site http://corridaspaodeacucarnescau.ativo.com/maratona/sao-paulo/

Aliança Navegação e Logística

A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retoma o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

 A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, obteve um faturamento de R$ 3,3 bilhões e movimentou 673 mil contêineres.

 A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas. 

Evento acontece de 19 a 21 de setembro no Hotel Tivoli Mofarrej em São Paulo

São Paulo, setembro de 2017 – A Aliança Navegação e Logística e a Hamburg Süd participarão do XXIII Fórum Internacional Supply Chain & Expo. Logística 2017, entre os dias 19 e 21 de setembro no Hotel Tivoli Mojarrej, em São Paulo.

O evento, que se divide em fórum e exposição, é considerado um dos principais pontos de encontro dos executivos de logística do País O fórum se destaca pelas palestras internacionais e divulgação de pesquisas inéditas. Já a Expo.Logística complementa o ambiente propício ao networking, estimulando a troca de informações e experiências entre executivos e especialistas do setor.

Tanto o Fórum Internacional quanto a Expo. Logística são organizados pelo Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos).

Para Jaime Batista, gerente nacional de vendas Cabotagem da Aliança, o evento é mais uma oportunidade para mostrar ao mercado os diferenciais dos serviços oferecidos pela Aliança e Hamburg Süd.   

Mesmo com a lenta retomada da economia brasileira, o serviço de cabotagem da Aliança cresceu cerca de 10% no primeiro semestre se comparado ao mesmo período de 2016. “Esperamos uma tímida recuperação da atividade econômica para o segundo semestre, o que deve consolidar esse crescimento de dois dígitos para todo o ano de 2017”, complementa Jaime.

Serviço
XXIII Fórum Internacional Supply Chain & Expo. Logística 2017
Data: 12 a 19 de setembro de 2017
Horário:
Local: Hotel Tivoli Mofarrej - Alameda Santos, 1437 - Cerqueira César, São Paulo (SP)

Sobre a Aliança Navegação e Logística
A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retomou o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, a cabotagem cresceu 7% em relação a 2015 e a expectativa para este ano é manter o ritmo de crescimento. Em 2016 foram movimentados 210 mil TEUs, o que significa um incremento de 15 mil TEUs em relação ao ano anterior.

A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas.

Sobre a Hamburg Süd
Hamburg Südamerikanische Dampfschifffahrts-Gesellschaft KG - Hamburg Süd está entre as dez maiores empresas de transporte marítimo de contêineres em todo o mundo. Com 116 navios de contêineres, capacidade física para mais de 600.000 TEUs e cerca de 50 serviços de linha, a empresa conta com 6.300 funcionários em 250 escritórios espalhados por todo o globo, garantindo que os clientes recebam soluções logísticas sob medida para suas necessidades específicas. O transporte de produtos frescos é uma competência essencial do grupo de transporte de cargas. A Hamburg Süd é um dos 5 maiores transportadores frigoríficos e está entre os líderes de mercado nas rotas comerciais Norte-Sul. Desde o final de 2014, a empresa também vem operando nas rotas comerciais Leste-Oeste. Fundada em 1871, a Hamburg Süd possui presenç a global como um armador de alta qualidade por meio de  sua subsidiária brasileira, Aliança, e sob a marca CCNI (Compañía Chilena de Navegación Interoceánica. Na categoria de transporte marítimo de cargas não regular (tramp shipping), a empresa opera graneleiros e petroleiros sob os nomes Rudolf A. Oetker (RAO), Furness Withy Chartering e Aliança Bulk (Aliabulk). Além de elevados padrões de qualidade, a atuação sustentável é uma parte fundamental da filosofia corporativa da Hamburg Süd. Para obter mais informações on-line, visite hamburgsud.com

Divulgação
Publicado em Transporte

São Paulo, 12 de setembro de 2017 –  A Aliança Navegação e Logística, líder no transporte marítimo via cabotagem, lançou, hoje, seu novo site (www.alianca.com.br). Com um design inovador, oferece um acesso mais fácil às informações sobre a empresa e os serviços prestados por ela.

Disponível em três idiomas – português, inglês e espanhol -, o site segue o mesmo modelo da Hamburg Süd no que se refere ao layout mais clean e moderno. Na home do novo portal é possível acessar informações importantes como: Programação de Navios, VGM  e Rastreamento de Carga.

“Com o site remodelado, o acesso aos nossos serviços ficou ainda mais simples e ágil. Nossa proposta é que o visitante consiga achar facilmente as informações, além de conhecer os diferenciais que oferecemos ao mercado”, afirma Lourenço Malanga, responsável por Comunicação e Marketing da Região Costa Leste da América do Sul.

A nova página também destaca os principais serviços prestados pela Aliança – Cabotagem e Mercosul. Na aba Cabotagem, é possível encontrar dados sobre como fazer o primeiro embarque nesse modal, transporte porta a porta e operações intermodais.  Na parte de Mercosul, o visitante encontra informações sobre as principais rotas para os portos no eixo Argentina, Uruguai, Paraguai e Patagônia.

Sobre a Aliança Navegação e Logística

A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retomou o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, a cabotagem cresceu 7% em relação a 2015 e a expectativa para este ano é manter o ritmo de crescimento. Em 2016 foram movimentados 210 mil TEUs, o que significa um incremento de 15 mil TEUs em relação ao ano anterior.

A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas.

Evento acontece de 12 a 14 de setembro no Centro de Convenções da Estação das Docas

São Paulo, agosto de 2017 – A Aliança Navegação e Logística, líder em cabotagem no Brasil, participará no próximo dia 12 de setembro do 10º Seminário Internacional de Transporte e Desenvolvimento Hidroviário Interior, no Centro de Convenções da Estação das Docas, em Belém (PA).

O evento é realizado periodicamente pela Sociedade Brasileira de Engenharia Naval (SOBENA), uma associação técnica civil que há mais de 50 anos tem como principal objetivo promover o desenvolvimento da engenharia naval e do transporte aquaviário no País.

No evento, a Aliança será representada pelo gerente nacional de vendas da cabotagem, Jaime Batista. O executivo falará sobre Logística e Transporte de carga, abordando, principalmente, as operações da empresa que envolve os portos da Amazônia, bem como as perspectivas sobre a movimentação de contêineres na região Norte.

“Estamos trabalhando intensamente a cabotagem em todas as regiões do país, em especial a região Norte onde há 2 anos iniciamos nossa atuação no Pará e Amapá, além de nossa atuação tradicional no Amazonas. Nossa oferta de serviços porta a porta, tem gerado o interesse de um número cada vez maior de empresas no elo de demandas logísticas nacionais e internacionais”, comenta Batista.

O seminário conta com a participação de projetistas, armadores, companhias de navegação, empresas de logística, pesquisadores, órgãos governamentais da área de transporte e de fomento, Marinha do Brasil, sociedades classificadoras, Universidades e estudantes. A última edição, realizada em 2015 em Manaus, contou com cerca de 350 participantes.

Serviço
10º Seminário Internacional de Transporte e Desenvolvimento Hidroviário Interior – Palestra com Jaime Batista da Aliança Navegação e Logística
Data: 12 de setembro de 2017
Horário: 15h50
Local: Centro de Convenções da Estação das Docas - Avenida Boulevard Castilho - Campina/Belém (PA)

Sobre a Aliança Navegação e Logística
A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retomou o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, a cabotagem cresceu 7% em relação a 2015 e a expectativa para este ano é manter o ritmo de crescimento. Em 2016 foram movimentados 210 mil TEUs, o que significa um incremento de 15 mil TEUs em relação ao ano anterior.

A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas.

Divulgação
Publicado em Transporte

São Paulo, agosto de 2017 – Milhares de acidentes acontecem a cada minuto nas estradas do País.  Por isso, a Aliança e a Hamburg Süd, especialistas no transporte porta a porta - no qual é possível utilizar diversos modais numa mesma operação-, criaram um projeto de prevenção de acidentes, que visa não somente reduzir os incidentes rodoviários em suas atividades, mas principalmente garantir a integridade da vida humana e do meio ambiente.

O Projeto Prevenção de Acidentes, batizado de PPA, baseia-se em três principais pilares: Gerenciamento de Riscos, Políticas Internas e Comunicação/Treinamento. Para a Gestão de Riscos, com a ajuda da Open Tech, empresa especializada em gerenciamento de riscos em transportes, foi possível ter maior visibilidade da operação, incluindo informações sobre a velocidade dos motoristas nas estradas, auditorias, inspeções rotineiras nos veículos, assim como a homologação dos pátios para a armazenagem dos contêineres carregados. Sobre as Políticas Internas, tanto a Aliança quanto a Hamburg Süd passaram a incluir cláusulas mais específicas em seus contratos, assim como as penalidades previstas em lei, no caso de descumprimento das regras acordadas.

A última parte e a mais importante do projeto é a Comunicação/Treinamento. Por meio de uma parceria com o SEST-SENAT e as próprias transportadoras desde o mês de Julho, estão sendo realizados workshops nas cidades onde há operações da Aliança e da Hamburg Süd. O evento é sempre ministrado aos sábados e sob a gestão de um analista de risco e da equipe da Open Tech. Os principais temas abordados durante o bate papo são: acidentes de trânsito, direção preventiva, bem-estar do motorista, procedimentos ao volante, manutenção dos veículos e multas de trânsito.

Para não prejudicar a operação, cada transportadora elege seu time de colaboradores para participar do workshop. A ideia é que os motoristas que participarem presencialmente multipliquem a informação para os demais. Porém, obrigatoriamente, todos deverão testar seus conhecimentos em um treinamento on-line e emitir um certificado de conclusão do treinamento. Após um ano, todos passarão por uma reciclagem.

Atualmente, cerca de 2.500 motoristas colaboram nas operações rodoviárias das duas empresas e todos deverão participar do treinamento. “Somos pioneiros nesse tipo de iniciativa. A ideia não é punir, mas prevenir e padronizar todo o processo de transporte rodoviário. Hoje, muitas transportadoras que trabalham conosco possuem esse tipo de treinamento. Outras prestam um ótimo trabalho, mas não possuem a iniciativa. Garantir o ritmo certo da operação e aumentar a qualidade dos serviços irão beneficiar a todos”, comenta o gerente nacional de Operações Intermodais da Hamburg Süd, Fernando Camargo.

A primeira cidade a receber o PPA foi Santos. Após quatro sábados consecutivos, cerca de 130 motoristas puderam participar do treinamento e compartilhar suas experiências. Até o final de 2017, o projeto irá passar por mais 9 cidades.

Sobre a Aliança Navegação e Logística

A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retomou o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 11 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.

A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, a cabotagem cresceu 7% em relação a 2015 e a expectativa para este ano é manter o ritmo de crescimento. Em 2016 foram movimentados 210 mil TEUs, o que significa um incremento de 15 mil TEUs em relação ao ano anterior.

A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas.

Sobre a Hamburg Süd

Hamburg Südamerikanische Dampfschifffahrts-Gesellschaft KG - Hamburg Süd está entre as dez maiores empresas de transporte marítimo de contêineres em todo o mundo. Com 116 navios de contêineres, capacidade física para mais de 600.000 TEUs e cerca de 50 serviços de linha, a empresa conta com 6.300 funcionários em 250 escritórios espalhados por todo o globo, garantindo que os clientes recebam soluções logísticas sob medida para suas necessidades específicas. O transporte de produtos frescos é uma competência essencial do grupo de transporte de cargas. A Hamburg Süd é um dos 5 maiores transportadores frigoríficos e está entre os líderes de mercado nas rotas comerciais Norte-Sul. Desde o final de 2014, a empresa também vem operando nas rotas comerciais Leste-Oeste. Fundada em 1871, a Hamburg Süd possui presença global como um armador de alta qualidade por meio de sua subsidiária brasileira, Aliança, e sob a marca CCNI (Compañía Chilena de Navegación Interoceánica. Na categoria de transporte marítimo de cargas não regular (tramp shipping), a empresa opera graneleiros e petroleiros sob os nomes Rudolf A. Oetker (RAO), Furness Withy Chartering e Aliança Bulk (Aliabulk). Além de elevados padrões de qualidade, a atuação sustentável é uma parte fundamental da filosofia corporativa da Hamburg Süd. Para obter mais informações on-line, visite hamburgsud.com.