ABQV realizou em São Paulo a 17º Edição do Congresso Brasileiro de Vida

Com o tema “Arte e Ciência na Qualidade de Vida” o evento foi realizado no Hospital Sírio Libanês.


ABQV realizou em São Paulo a 17º Edição do Congresso Brasileiro de Vida 1

Com o objetivo de tanto de atuar junto aos profissionais na melhoria da gestão de pessoas como apresentar questões atuais vinculadas à promoção da saúde e do bem-estar no ambiente de trabalho, às perspectivas do setor e as inovações tecnológicas, a ABQV promoveu a 17º edição do Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida, no período de 20 a 22 de maio. Com o tema central “Arte e Ciência na Qualidade de Vida”, o evento foi realizado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

O Congresso teve a abertura oficial na segunda-feira (21) quando se destacou a importância do capital humano como fator fundamental no desenvolvimento sustentável do Brasil, onde a saúde e o bem-estar no ambiente de trabalho se tornam elementos essenciais. Na oportunidade os mais de 600 participantes presenciaram uma apresentação cultural temática sobre a qualidade de vida no trabalho. 

Conseguimos atingir nosso objetivo de proporcionar mais uma edição do Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida, que a cada ano aborda questões importantes sobre a gestão de pessoas e como os gestores e líderes podem atuar de maneira efetiva nas suas empresas. Estamos felizes com presença de tantos profissionais que puderam disponibilizar do seu tempo para adquirirem novos conhecimentos e aprimoramento”, declara Eloir Edilson Simm, presidente da ABQV.

A palestra de abertura do evento ficou por conta do professor Ron Goetzel da Johns Hopkins University. Na ocasião, ele abordou o tema “Estado da arte na avaliação de programas de saúde e qualidade de vida”, enfatizando a importância de atuar de maneira proativa na prevenção de doenças e de ser saudável é uma tarefa diária. Goetzel apresentou diversos cases de programas que foram implantados em empresas internacionais, além de responder a várias questões dos congressistas.

O público pode acompanhar ainda a abertura da Expo Qualidade de Vida, um espaço dedicado no evento para que empresas do setor pudessem atender o público e apresentar seus serviços e produtos. No período da tarde o simpósio “O Desafio da Inclusão” discutiu os principais problemas enfrentados pelas organizações, bem como temas ligados ao enfrentamento das consequências e benefícios das mudanças culturais nas empresas, com a presença Edina Bom Sucesso, doutora em Ciências da Educação pela UM, Portugal, psicóloga e autora de livros, como: “Afeto e Limite: uma vida melhor para pais e filhos”, “Relações Interpessoais e Qualidade de Vida no Trabalho”, “Autoestima e Felicidade” e “Até quando? Tortura psicológica e assédio moral no trabalho”, e a Dra. Marilda Lipp, cientista, escritora, psicóloga, Ph.D em Psicologia pela George Washington University, pós doutorada em Stress Social pelo National Institute of Health, EUA.

Outro destaque do dia 21 foi a mesa redonda “Envelhecimento e encontros intergeracionais” que apresentou a nova realidade do Brasil em relação a expectativa de vida do brasileiro, o tema foi desenvolvido pelo Dr. Egidio Dórea, Diretor de Desenvolvimento Institucional do International Longevity Centre Brazil, Coordenador da Universidade Aberta à Terceira Idade da USP, Coordenador do programa USP Rumo ao Envelhecimento Ativo, Médico Residência e doutorado em Nefrologia pela Universidade de São Paulo; e por Noelly Mercer,Coordenadora do Centro de Inovação Sesi em Longevidade e Produtividade, Enfermeira pela Universidade Estadual do Norte do Paraná,  Especialista em enfermagem do trabalho e Mestre em Psicologia Social Comunitária pela Universidade Tuiuti do Paraná.

A programação do último dia do Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida, na terça-feira (22), foi iniciada por Sâmia Simurro, vice-presidente da ABQV e coordenadora do PNQV, que apresentou o lançamento da 20° edição doPrêmio Nacional de Qualidade de Vida, que tem o objetivo de reconhecer e dar visibilidade as boas práticas em programas de saúde e qualidade de vida no ambiente corporativo, a iniciativa é pioneira no país e enfatiza as atividades realizadas pelas empresas no Brasil. O Prêmio é estabelecido com base nos fundamentos do ModelodeExcelênciadaGestão (MEG) da FundaçãoNacionaldeQualidade (FNQ), adaptado ao Modelo de Ambiente de Trabalho Saudável, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O evento recebeu ainda a atleta olímpica Joanna Maranhão para fazer a palestra “Assédio: Prevenindo para Agir”, que abriu o segundo dia do Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida. Joanna que respondeu a perguntas dos participantes, sobre como as organizações podem estar mais preparadas para lidar com o assunto e ter ações preventivas nos seus programas que qualidade de vida. A atleta foi aplaudida de pé por todos os presentes após a sua apresentação.

A temática da “Saúde e Doença Mental” buscou analisar o cenário atual a partir de experiências e vivências apresentadas por gestores que acompanham os processos de adoecimento associados ao trabalho. As discussões incluíram apresentações de estudos e pesquisas como: conceituando saúde e doença mental, estruturação de um programa de saúde mental corporativo e soluções disponíveis no mercado. Na apresentação foram explanados os determinantes da saúde mental e os fatores psicológicos que tornam as pessoas vulneráveis. Outro ponto abordado foi à promoção e a proteção da saúde mental, a partir de ações e estratégias de prevenção que possam criar condições de vida e ambientes que apoiam a saúde mental do trabalhador e permitam às pessoas adotar e manter estilos de vida saudáveis. A mesa redonda foi apresentada pela Dra. Liliana Guimarães, psicóloga, Mestre em Psicologia da Saúde, Doutora em Saúde Mental- UNICAMP, Brasil, Pós-doutora em Medicina do Estresse- Instituto Karolinska, Estolcomo, Suécia, em Saúde Mental do trabalhador pela Faculdade de Medicina da UNICAMP, Brasil. Profa Titular do curso de Mestrado e Doutorado em Psicologia, da Universidade Católica Dom Bosco- UCDB/Brasil; Pesquisadora sênior do SAMPO, Instituto de Psiquiatria- IPq, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Brasil; pelo Dr. Wagner Gattaz, diretor do Laboratório de Neurociências, professor titular e presidente do conselho Diretor do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP, Doutor em Psiquiatria e Psicoterapia pela Universidade de Heidelberg, Alemanha. Pesquisador, autor de 6 livros e no Citation Report conta com 325 publicações, Editor da Revista de Psiquiatria Clinica e da série de livros Advances in Schizophrenia Research (Springer New York) e co-editor da série Advances in Biological Psychiatry (Karger Vienna), Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências, e da Academia de Ciências de Heidelberg, Alemanha; recebeu do Presidente da República a Comenda da Ordem Nacional do Mérito Científico. Presidente da Gattaz HR e pela Dra. Graziela Alberici, analista técnico sênior na Gerência de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do SESI/RS e Responsável Técnica do Centro de Inovação SESI em Fatores Psicossociais, Graduada em Psicologia pela PUC-RS (2000), Especialista em Psicologia Clínica pelo Instituto Contemporâneo de Psicanálise e Transdisciplinaridade (2003), Formação em Psicanálise pela Associação Psicanalítica de Porto Alegre (2009), Especialista em Saúde do Trabalhador pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2014), atua na área de Saúde e Segurança do Trabalho para a indústria há 18 anos.

O psiquiatra Daniel Barros, médico formado pela Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), especializado em psiquiatria pelo Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital da Clínicas da FMUSP; e a jornalista, radialista e escritora brasileira, Inês de Castro, apresentadores do programa “Humanamente” da BandNews FM, apresentaram a temática “Suicídio – Reflexões e Impactos sobre a Qualidade de Vida”, a sessão aconteceu no formato de talk show, onde conversaram abertamente com os participantes do Congresso sobre os principais desafios e formas de prevenção. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo e no Brasil 11 mil pessoas, em média, tiram a própria vida por ano. Durante o bate papo diversas questões foram abordadas desde a criação de mais ações voltadas a prevenção e ao tratamento da depressão como aos gestores estarem mais atentos a estes temas em suas empresas.

“Como Educar os Filhos no Mundo Atual” foi o tema da palestra de encerramento do Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida, ministrado pela psicóloga e consultora educacional Rosely Sayão. O momento foi marcado pela interatividade do público que levantou várias questões como o uso da tecnologia, a sexualidade, os limites e a adolescência.

A direção do evento desenvolveu o programa científico do Congresso Brasileiro de Qualidade de vida para atender a grande variedade de interesses dos profissionais, empresas e gestores. Foram mais de 600 participantes nesta décima sétima edição que puderam vivenciar novos conhecimentos sobre saúde, bem-estar e qualidade de vida.


Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens