Alergias, que podem afetar até 20% das crianças, serão tema de Congresso Brasileiro

Evento será de 10 a 13 de abril, em Foz, e é uma promoção da Sociedade Brasileira de Pediatria, com o apoio da Sociedade Paranaense de Pediatria


Alergias, que podem afetar até 20% das crianças, serão tema de Congresso Brasileiro 1

A Sociedade Brasileira de Pediatria com o apoio da Sociedade Paranaense de Pediatria realiza em Foz do Iguaçu, de 10 a 13 de abril, no Hotel Bourbon Cataratas, o 15.º Congresso Brasileiro de Alergia e Imunologia Pediátrica. Somente a alergia afeta 20% das crianças brasileiras, cabendo ao pediatra, médico de cabeceira de nossas crianças, a tarefa de reconhecer, orientar e tratar estes males. As doenças alérgicas são muito prevalentes na infância, devido à exposição cada vez mais precoce a alérgenos, ao crescente processo de industrialização e alteração dos padrões de resposta imune do organismo a estes fatores. 

Segundo a presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Dra. Luciana Rodrigues Silva, durante os quatro dias de Congresso, os participantes terão a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos e poderão construir novos saberes em temas de extrema relevância. Além disso, o engajamento dos pediatras em iniciativas de educação continuada – como o Alergoped – é fundamental para fortalecer a especialidade e garantir mais qualidade na assistência, destaca.

A Dra. Kerstin Taniguchi Abagge, presidente da Sociedade Paranaense de Pediatria, adverte que o adequado diagnóstico e manejo das doenças alérgicas e imunodeficiências são muito importantes e o papel do pediatra é essencial, pois ele é o primeiro a avaliar a criança. A médica acrescenta que durante o Congresso de Foz serão abordados temas muito frequentes como a rinite, a asma, a dermatite atópica, as infecções de vias aéreas e também assuntos relevantes como as imunodeficiências primárias.

O Dr. Herberto Chong Neto, presidente do Congresso, afirma que esta edição terá como tema central "Alergia e Imunologia em Pediatria: da atenção primária a medicina personalizada". Ele explica que a imunoterapia específica para alérgenos tem já um século de existência e acrescenta que há necessidade de propagar e sedimentar o conhecimento das doenças alérgicas e imunológicas na atenção primária. Além disso, o aumento do conhecimento do mecanismo de doença e do tratamento das desordens alérgicas e imunológicas aproximam o pediatra ainda mais do controle e cura destas enfermidades.

Para o Dr. Nelson do Rosário Filho, diretor de Assuntos Internacionais da SBP, a Pediatria tem evoluído muito e a atualização é requisito indispensável para melhorar o nível de conhecimento de recursos diagnósticos e tratamentos disponíveis para crianças e adolescentes com doenças alergoimunológicas. Pela quarta vez o Estado do Paraná organiza o Congresso de Alergia e Imunologia em Pediatria desde 1984. "Sou testemunha do progresso da especialidade nestes anos. Vivemos a medicina de precisão e individualização do tratamento. Conhecemos fatores de risco para o desenvolvimento de alergias e podemos interferir na prevenção das doenças", diz ele.

De acordo com o Dr. Kennedy Long Schisler, membro da Comissão Científica, a programação abordará, ainda, doenças imunológicas bem menos frequentes, mas não menos importantes, que comprometem a vida de milhares de crianças, como os erros inatos da imunidade, angioedema hereditário, esofagite eosinofílica, entre outros". "Será um momento de intenso aprendizado e intercâmbio de conhecimento", em sua opinião.


Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens