Câncer de Boca pode ser causado por sexo oral sem proteção e incidência é maior entre os homens

Levantamento do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial revela que em cada dez mortes pela doença, oito são homens e duas mulheres


Várias Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) como o vírus do papiloma humano (HPV), a herpes genital e a gonorreia também podem ser transmitidas pela boca, através do sexo oral sem preservativos. A infecção pelo vírus HPV, por exemplo, está ligado a alguns tipos de câncer bucal principalmente na região de orofaringe que incluem garganta, amígdalas e a parte mais posterior da língua .

“Se os parceiros não tiverem realizado um exame completo para descartar a presença de DSTs é indicado que utilizem camisinha masculina e/ou feminina, como método de barreira, e não apenas anticoncepcional”, alerta o coordenador do Capítulo de São Paulo do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, Alexander Sverzut. “Sem o preservativo, a boca entra em contato com os fluídos e com a mucosa dos órgãos sexuais que podem causar doenças sexualmente transmissíveis e, consequentemente, câncer de boca”, completa Sverzut.

O Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial fez um levantamento, com base em dados oficiais, e constatou que a doença atinge mais homens do que mulheres. Em 2017, foram 8.043 mortes no Brasil causadas por câncer de boca, sendo 80% em homens (6.384 mortes) e 20% em mulheres (1.658 mortes).

Já, no ano passado, foram 23.570 internações registradas por câncer de boca, com 17.496 homens e 6.074 mulheres, sendo 669 na região Norte, 4.645 no Nordeste, 11.572 no Sudeste, 5.142 internações hospitalares pela doença no Sul e 1.542 na região Centro-Oeste.

“São números bastante expressivos que poderiam ser reduzidos com prevenção. O HPV está presente no sêmen e também no líquido pré-ejaculatório. Um pequeno corte ou lesão no interior da boca aumenta enormemente as possibilidades de transmissão, e muitas pessoas podem ter pequenas lesões orais sem que percebam”, explica o presidente do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, José Rodrigues Laureano Filho. 

Além do HPV, a herpes genital e a gonorreia, existe também o risco de transmissão do HIV através de um machucado ou herpes na boca. “Feridas na que demoram a cicatrizar (mais de uma semana) e manchas avermelhadas ou esbranquiçadas, que podem ser confundidas com aftas, são alguns sintomas do câncer de boca”, revela Laureano Filho.Outros sintomas, que podem aparecer nas fases mais avançadas da doença, são: mau hálito, dificuldade para engolir e falar e o aparecimento de caroços no pescoço.  “Geralmente o câncer de boca relacionado ao HPV atinge adultos até os 40 anos, acima dessa idade os fatores etiológicos na maioria das vezes são outros como: fumo, álcool, má alimentação, falta de higiene oral dentre outros”, completa o especialista. 

O diagnóstico precoce é muito importante e dobram as chances de cura do paciente. Dependendo do caso, o tratamento é relativamente simples, normalmente através de cirurgia e com rápida recuperação do paciente. O mais importante é sempre procurar um cirurgião dentista para receber o diagnóstico correto. 


DOC PRESS

Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens