Em Foz, pequenos meios de hospedagem buscam melhorar competitividade


Convidados pelo Sebrae e ABIH, cerca de 20 hotéis e pousadas de pequeno porte participaram de workshop; capacitação de dois dias destacou qualificação

Hotéis e pousadas de pequeno e médio porte, que têm até 50 unidades habitacionais, representam 70% dos empreendimentos hoteleiros no Brasil, segundo estudo da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH). Somente em Foz do Iguaçu, dos 110 meios de hospedagem cadastrados pela entidade, 60 são pequenos e médios. Esse número, conforme Mauro Sebastiany, presidente regional da ABIH em Foz, só tende a crescer.

“Percebemos que há, cada vez mais, um interesse de transformar casas e propriedades familiares em empreendimentos para pouso de turistas na região e isso faz com que o número de meios de hospedagem aumente gradativamente. Foz é destino consagrado no Turismo e, para que isso se fortaleça, é preciso oferecer qualidade em todos os meios de hospedagem, sejam eles de pequeno, médio ou grande porte”, disse Sebastiany, durante a realização do Workshop Pequenos & Notáveis, nesta semana, em Foz.

O workshop, iniciativa do Sebrae Nacional e ABIH, aconteceu no município nos últimos dias 26 e 27 e reuniu cerca de 20 hotéis e pousadas de pequeno e médio porte de Foz do Iguaçu e cidades vizinhas. Para Orestes Hotz, gerente da Regional Oeste do Sebrae/PR, o setor turístico é importante alavanca no desenvolvimento econômico da região e sua qualificação faz com que o movimento de visitantes se mantenha e cresça diante do desenvolvimento.

“A qualidade independe do tamanho do empreendimento hoteleiro. Para agradar e, principalmente, surpreender o turista, o local de pouso precisa estar preparado e atento ao mercado. O Workshop Pequenos & Notáveis é uma oportunidade de conhecimento, integração e troca de informações entre os pequenos meios de hospedagem e uma boa chance de análise e observação do que é preciso melhorar em cada um desses empreendimentos”, declarou Hotz.

O Workshop Pequenos & Notáveis, em Foz do Iguaçu aconteceu no escritório do Sebrae/PR no município. Também estiveram presentes na abertura da capacitação o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu (SindhotéisFoz), Carlos Antônio Silva; a diretora do Departamento de Marketing e Eventos da Secretaria Municipal de Turismo de Foz, Elaine Tenerello Valente; e consultores e instrutores do Sebrae/PR e ABIH.

Mercado

Durante o workshop em Foz do Iguaçu, os participantes aproveitaram para trocar experiências e percepções dos diferenciais dos pequenos meios de hospedagem em relação aos de maior porte, enquanto os instrutores, Fábio Vieira Martinelli e Roni Cavalcante, orientavam sobre gestão, competitividade e sustentabilidade dos hotéis e pousadas de pequeno e médio porte. “A intenção é valorizar, justamente, o que esses empreendimentos têm de diferente dos demais”, ressaltaram.

“Em todas as cidades que vamos com essa capacitação, temos visto que os gestores de pequenos hotéis e pousadas estão bastante realistas em relação ao mercado que se abre com a vinda da Copa para o Brasil. Eles sabem que pode aumentar a ocupação do meio de hospedagem, mas estão buscando se capacitar para além dessa expectativa. Querem estar mais posicionados no mercado não só para o evento esportivo, oferecendo um serviço diferenciado que investe no acolhimento e atenção ao turista, no atendimento mais pessoal e personalizado ao visitante”, destacaram os instrutores.

Na opinião de Teresinha Roieski, proprietária de hotel com 26 apartamentos em Foz, participar do Workshop possibilitou atualização sobre o mercado dos pequenos meios de hospedagem. “Uma das grandes diferenças que vejo em relação aos hotéis maiores é com relação à estrutura. Não podemos oferecer elevador, por exemplo, mas existem inovações acessíveis que podemos incluir nos pequenos meios de hospedagem, como atendimento, colchões confortáveis e acesso à internet”, ilustrou.

Já o gerente comercial, Aelton Camilo, aproveitou a capacitação para buscar novas estratégias de ocupação para o hotel em que trabalha em Foz do Iguaçu. “Dispomos de 42 apartamentos e temos o mesmo custo que um hotel um pouco maior, de 70 unidades habitacionais. Para se manter e conseguir viabilizar o negócio, precisamos planejar estratégias diferenciadas para aumentar de 10 a 15% nossa frequência de ocupação”, registrou.


Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens