Grupo Pioneiro promove sequestro de carbono


Empresa faz plantio de eucalipto e florestas que retiram do ar a mesma quantidade de gás carbônico produzido pelas suas indústrias

A produção industrial sempre libera gás carbônico (CO²) na atmosfera. O sequestro do carbono é naturalmente realizado pelas florestas e, por isso, o plantio de árvores é uma das prioridades do Grupo Pioneiro. “Nosso mais novo plantio é o de mudas de eucalipto. Conforme estudos, um hectare de floresta em desenvolvimento é capaz de absorver 200 toneladas de carbono. Pelos laudos técnicos, com esse e outros plantios estamos praticamente empatados em emissão e absorção”, conta Francisco Carlos da Silva, técnico do Meio Ambiente do Grupo Pioneiro.

Hoje, a empresa emite cerca de 2.200 toneladas de carbono no período de seis meses, e somente a plantação com 90 mil mudas de eucaliptos sequestra cerca de 1.156 toneladas de carbono da atmosfera. “Ainda não foi feito o laudo de absorção das outras plantações e florestas que temos dentro da empresa, e também estamos plantando cedrinhos em quatro núcleos do Grupo Pioneiro, que ajudarão ainda a bloquear os ventos de maior intensidade”, observa o técnico do Meio Ambiente.

Contudo, o sequestro de carbono só ocorre no período de crescimento das árvores, pois é quando necessitam uma grande quantidade da substância para se desenvolver. O eucalipto leva sete anos para completar o seu desenvolvimento. “Depois do ciclo de sequestro de carbono, as plantações de eucaliptos geram renda e são cortadas para uso da empresa, que compra somente essa madeira para evitar a supressão das matas nativas com cortes de outras árvores”, explica Francisco Carlos da Silva e acrescenta: “As plantações não só diminuem a poluição, o aquecimento global e a pressão sobre as matas nativas, mas geram empregos diretos e indiretos na área rural”.

Para o plantio, foi utilizado o adubo da Indústria de Tratamento de Resíduos Orgânicos. A empresa ainda possui outros programas de sustentabilidade. A Estação de Tratamento de Efluentes gera cerca de 3 milhões e 200 mil litros de água limpa, sendo 70% reutilizada na área externa da indústria em limpezas de pátios e irrigação de plantas e 30% devolvida para o Ribeirão Fortunato. “Também temos projetos de recomposição de área com plantio de árvores nativas na sede do abatedouro, programas de educação ambiental dentro da empresa e comunidade e programa de coleta e direcionamento de resíduos”, revela Francisco Carlos da Silva.

Mitos sobre os eucaliptos

Existem muitos mitos sobre as plantações de eucaliptos, que começaram na década de 1960, quando a falta de conhecimento técnico provocou o insucesso das primeiras experiências de reflorestamento com essa árvore. O técnico do Meio Ambiente do Grupo Pioneiro, Francisco Carlos da Silva, esclareceu as três principais dúvidas.

Os eucaliptos empobrecem o solo?
Falso. Os eucaliptos ajudam a controlar a erosão, pois após a colheita de 70% dos nutrientes da árvore, incorporam a matéria orgânica no solo.

Os eucaliptos secam o solo?
Falso. Eles retêm menos água que as matas nativas e consomem bem menos água que outras árvores.

Os eucaliptos geram um deserto verde?
Falso. Os eucaliptos formam um corredor para áreas de preservação permanente e criam um habitat com abrigo e alimentação para a fauna, segundo estudos realizados pelas empresas Aracruz Celulose e Klabin.

Prêmio ambiental

Em abril, a Frangos Pioneiro recebeu o “Certificado de Destaque Ambiental”, prêmio concedido pelo Jornal do Meio Ambiente do Estado de São Paulo para empresas que cumprem a legislação ambiental brasileira e possuem programas de sustentabilidade e responsabilidade ambiental.

Para a escolha das empresas, foi realizada uma pesquisa com o Ministério do Meio Ambiente, Ibama e Conama. Os critérios utilizados para avaliação são programas de reaproveitamento, reutilização e redução do consumo de água, energia, matéria-prima (incluindo reciclagem), sistemas de controle e planos de redução de poluentes e ações de educação ambiental.

Sobre o Grupo Pioneiro

Fundado em 1983, no norte Pioneiro do Paraná, o Grupo Pioneiro hoje conta com três empresas: a Maná Alimentos, a Frangos Pioneiro e a Rações Pioneira que, juntas, produzem cerca de 470 toneladas de alimentos e 790 toneladas de rações por dia. Todos os frangos são de origem de aviários que fazem parte do Sistema de Integração de Frango de Corte, o que ajuda no controle da saúde das aves e incentiva a agricultura familiar. A sustentabilidade é outra preocupação do Grupo, que possui Estações de Tratamento de Efluentes e Água e Indústria de Tratamento de Resíduos Orgânicos classe 2, que trata todos os resíduos orgânicos. Além disso, destina todos os resíduos recicláveis para empresas especializadas e certificadas.

Em 2010, a empresa reestruturou seu complexo industrial e recebeu a certificação para exportações do Ministério da Agricultura, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o Selo de Qualidade Islamic Halal, obrigatório em países islâmicos. Hoje, os produtos da Pioneiro estão presentes em vários estados brasileiros, no Japão e em diversos países da África e Oriente Médio.

Mais informações no site www.grupopioneiro.com.br .


Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens