NOITE DE LITERATURA PRETA NA CASA DE ANGOLA

Revista de Literatura Òmnira homenageia o Pai Grande da nação angolana Dr. Agostinho Neto e o livro "Alma Cativa" fecha a noite de Literatura Preta na Casa de Angola


NOITE DE LITERATURA PRETA NA CASA DE ANGOLA 1

A UBESC – União Baiana de Escritores promove e a Casa de Angola acolhe o lançamento da revista de Literatura “Òmnira”, 32 páginas, em uma edição especial em homenagem ao líder negro, guerrilheiro, pensador, poeta e primeiro presidente de Angola, Agostinho Neto e do romance “Alma Cativa” Ed. Òmnira/BA-Brasil, 200 páginas, da professora e escritora Margarete Carvalho, no próximo dia 15 de fevereiro (sexta-feira), às 18:30 h, no Centro Cultural Casa de Angola (Praça dos Veteranos, 5 – Barroquinha, in Salvador/BAHIA-Brasil).

A revista Òmnira que tem uma circulação por países de África, de língua portuguesa, já levou no seu conteúdo homenagens a grandes lideranças como: Castro Alves (Brasil), a Mulher Zungueira (Angola), Samora Machel (Moçambique), Nelson Mandela (África do Sul), Amilcar Cabral (Cabo Verde/Guiné Bissau) e Agostinho Neto (Angola), nas próximas edições as lembranças são de Germano Machado e Mãe Menininha do Gantois (Brasil). Nessa edição a revista carrega à poética e as letras nas suas mais diversas vertentes da Literatura, de nada mais nada menos que 23 angolanos, 13 brasileiros, um cabo-verdiano e um americano, todos lidos em um só uníssono: África United, como pregou o saudoso rei do reggae jamaicano Bob Marley. A obra traz na capa uma pintura do artista plástico angolano Kabú retratando Agostinho Neto numa expressiva e acentuada profundidade da manifestação artística. Poesia e pensamentos de Agostinho Neto dão transparência a esse reconhecimento que quebra qualquer protocolo.

A professora e escritora Margarete Carvalho estreia colocando na berlinda a sua primeira obra literária, o romance deve cativar o público leitor pelo que nele será percebido, absorvido, captado “existem descolamentos temporais e a história que conta não está fixada em um só tempo, tem como referência temporal inicial a perseguição, captura e escravização de africanos, perpassando o presente e trazendo uma visão futurista”, retratou a mensagem rotulada nas páginas desse livro a apresentadora Géssica Santos Seles. O livro “Alma Cativa” abre o ano Literário do Selo Editorial Òmnira, que vem com mais novidades por ai, ainda no inicio deste ano, com “O Amor não Está” livro de poesias da professora e poetisa Jovina Souza e o livro “Letras Pretas Cruas e Nuas – Poesias de Luta & Contos de Amor” do jornalista e escritor Roberto Leal. 

Dentro da programação o SARAUBESC, vai fazer acontecer a poesia preta da periferia que vai rolar solta na área externa, teremos ainda uma exposição de livros e revistas de autores angolanos e baianos/brasileiros, além da noite de autógrafos com bate papo com os convidados, autoridades presentes e o escritor e editor Roberto Leal e a professora e escritora Margarete Carvalho. E é enfatizando a personificação de luta do saudoso líder guerrilheiro Dr. António Agostinho Neto, que se descreve uma noite de Literatura preta, aquela que mais ecoa o seu grito de Òmnira/Liberdade in Iorubá. Esse evento tem o apoio do Movimento Literário Kutanga/Angola. Mais informações +55 (71) 98736-9778 ou ainda lealomnira@yahoo.com.br


Roberto Leal

Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens