Receita Estadual da Paraíba exigirá substituição de máquinas POS por TEF a partir de 1 de agosto


Receita Estadual da Paraíba exigirá substituição de máquinas POS por TEF a partir de 1 de agosto 1

Receita Estadual da Paraíba exigirá substituição de máquinas POS por TEF a partir de 1 de agosto 4

Novas regras nas vendas com cartão de crédito ou débito no Estado da Paraíba, abrem oportunidade para desenvolvedores de soluções de TEF

O mercado de meios de pagamento no Estado da Paraíba sofrerá uma drástica mudança a partir do próximo dia 01 de agosto. A “bomba” atinge em cheio os restaurantes, bares, lanchonetes e similares locais que, até então, podiam fazer uso de equipamento de POS (Point of Sale) sem integração com automações comerciais.

Na prática, o que muda para o empresário, tem muito mais a ver com Gestão e Segurança do próprio negócio do que uma simples troca de tecnologia motivada por uma intervenção do Estado.

“A verdade é que, se soubessem a diferença entre POS e TEF e entendessem a real finalidade de cada uma, escolheriam com muito mais propriedade o produto a ser instalado em suas lojas, levando em conta organização, segurança das informações, prevenção contra fraudes, confiabilidade, estabilidade, tempo de processamento, custo x benefício, Gestão e conciliação”, informa Rosane Taveira, gerente de marketing da NTK Solutions, empresa especializada em soluções de pagamento.

FISCALIZAÇÃO

Entre os principais benefícios da adoção do TEF pelos estabelecimentos comerciais, destaca-se a questão da Organização.

Todos os locais que atualmente utilizam o POS, por exemplo, não conseguem realizar integração com nenhum Sistema de Gestão, tornando o controle de vendas falho e abrindo possibilidade para fraudes, uma vez que após realizar a transação via cartão com o consumidor final, o operador insere os dados de vendas manualmente em seu sistema, algo que, com o tempo, acaba se tornando inviável e confuso, gerando inúmeros problemas para o empresário junto ao FISCO.

Segundo o titular da Secretaria da Fazenda, Mauro Benevides Filho, há inúmeras discrepâncias nas informações prestadas pelas operadoras de cartão de crédito e empresários, no que compete às vendas realizadas em POS.

“Farei o anúncio de uma ação em cima do cartão de crédito, uma ação coletiva. É algo que já havia sido coibido no passado. Há diferenças entre o que os cartões informam e o que as empresas estão vendendo e relatando”, afirma o titular do SEFAZ.

Vantagens

Além de eliminar o risco de fraudes e garantir uma Gestão eficaz nos negócios, o TEF (Transferência Eletrônica de Fundos) garante ainda mais assertividade e confiabilidade em todo o processo.

“Quando uma venda é inserida no sistema e essa venda será paga com o cartão de crédito, a solução de pagamento TEF é chamada automaticamente para realizar a tarefa. O TEF entra em ação e o seu trabalho é fazer a venda com segurança, rapidez e estabilidade, através do pinpad. Depois do processo concluído, o TEF entrega a venda realizada para a automação comercial que imprime o comprovante para o comprador”, sentencia Taveira.

Vale ressaltar ainda que o TEF não tem comunicação com a impressora, e não é ele quem determina onde deve ser impresso ou de que forma deve ser impresso, por esse motivo, o TEF funciona com qualquer Lei vigente, não importa se é cupom fiscal, NCFe, Sat ou outras. Ele trabalha com todas as emissões e comprovantes de venda existentes, simplesmente porque quem manda imprimir é a automação comercial. Para isso, os dois programas devem estar integrados, certificados e atualizados. 

Custo Benefício

O serviço de POS tem um custo mensal avaliado entre R$ 70 e R$ 120. Esse valor, no entanto, é cobrado por adquirente, outra desvantagem do POS que exige ainda que o estabelecimento tenha uma máquina para cada adquirente, ou seja, se o estabelecimento quiser passar cartões nas máquinas da Rede ele terá que ter uma específica para isso. Já se quiser passar na Cielo, visando obter taxas melhores, por exemplo, ele terá que ter outro POS e pagar pelo aluguel dessa nova máquina.

Além do custo mensal, o estabelecimento ainda precisa alugar a maquineta (ou as maquinetas) à parte.

O TEF, por sua vez, com serviço de pagamento com VPN já incluso vai de R$ 100 (um caixa) a R$ 200,00 (três caixas). O número de caixas é ilimitado, acrescentando-se valores por caixa adicional.

A grande vantagem é que o TEF é multi-adquirente, ou seja, permite ter quantas adquirentes o lojista quiser (e estiver filiado). Se um lojista tiver cinco adquirentes e todas forem homologadas para trabalhar com o TEF, ele pagará apenas uma locação, porque precisará apenas de um pinpad.

Oportunidade

O Pay&Go, primeira solução de TEF IP homologada pelas Adquirentes no Brasil e desenvolvida pela NTK Solutions, foi criado para os estabelecimentos comerciais de forma abrangente, completa e sem limite de caixas. A solução, presente em mais de 30 mil estabelecimentos no Brasil, realiza transações pela internet com rapidez e eficiência, contando com atendimento e suporte qualificados.

Única solução de TEF sem servidores intermediários, o Pay&Go Wi-Fi/Bluetooth é um TEF móvel e inovador que permite total integração com o software de gestão emitindo cupom fiscal. Ideal para que restaurantes, casas noturnas e postos de gasolina, possam oferecer uma comodidade extra ao cliente, evitando assim, que o mesmo tenha que se deslocar até o caixa para realizar o pagamento.

“Sem dúvida é uma grande oportunidade para os estabelecimentos do Estado da Paraíba, uma vez que o Pay&Go Wi-Fi/Bluetooth foi pensando para atender uma das grandes necessidades do mercado, trabalhando com os principais integradores de soluções”, determina Fernandes Lima, diretor comercial da NTK Solutions.

Saiba mais: www.ntk.com.br

Sobre a NTK Solutions

Empresa com 15 anos de existência no Brasil, é hoje uma das líderes de mercado em soluções de TEF com 30 mil clientes, mais de 50 mil checkouts instalados e ativos, 900 automações certificadas, 650 parceiros e distribuidores, 800 mil transações diárias, captura de 2,0 bilhões/mês, além de trabalhar com todos os grandes integradores de soluções do mercado brasileiro.

Seu principal produto é o Pay&Go, pioneiro em transações de fundos seguras pela internet. Recentemente, a empresa decidiu apostar em novos potenciais negócios, incorporando soluções de mobilidade, gerenciais, serviços, além de softwares de gestão tributária e fiscal.

Informações para Imprensa

Agência RPCOM

Jornalista Responsável: Rodolfo Parisi

Telefones: (11) 2362-148 / 95796-0497 | E-mail: rodolfo@agenciarpcom.com.br


Rodolfo Parisi

Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens