Temporada da peça “O Caderno Rosa da Senhora H” termina com sucesso de público

Com o fim das apresentações, a Boreal Companhia de Teatro já inicia um novo projeto


Temporada da peça “O Caderno Rosa da Senhora H” termina com sucesso de público 1
Temporada da peça “O Caderno Rosa da Senhora H” termina com sucesso de público 4

Com lotação de plateia em todas as apresentações e quatro sessões extras, chegou ao fim no dia 3 de março a temporada da peça “O Caderno Rosa da Senhora H”, da Boreal Companhia de Teatro, em cartaz desde o dia 7 de fevereiro no Teatro Novelas Curitibanas, com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba.

Temporada da peça “O Caderno Rosa da Senhora H” termina com sucesso de público 5

A montagem foi baseada na obra “O Caderno Rosa de Lori Lamby”, da escritora paulista Hilda Hilst (1930-2004), primeiro livro da chamada “Trilogia Obscena”, realizado pela autora para fazer uma crítica ao mercado editorial, e teve um formato inovador: o público ficava separado em cabines para promover uma experiência individualizada como se estivesse lendo um livro sozinho em casa. 

Após o sucesso da peça, voltada ao público adulto, a Boreal Companhia de Teatro agora se prepara para uma nova empreitada destinada às crianças: o projeto “Sete Mares de História”, que realizará contações de histórias com o objetivo de promover o acesso à cultura e à literatura para alunos de escolas públicas. 

As contações terão inspiração na personagem Pippi Langstrumpf, aqui no Brasil conhecida como Pipi Meialonga, da escritora sueca Astrid Lindgren. A personagem é uma menina de nove anos que cruza os sete mares em busca de aventuras junto com os seus melhores amigos, um cavalo e um macaquinho, e um baú cheio de moedas que herdou de seu pai, o pirata Efraim Meialonga.

Com datas ainda sendo definidas, as contações de histórias serão realizadas em turmas do Ensino Fundamental de escolas municipais em quatro cidades paranaenses: Guamiranga, Rebouças, Teixeira Soares e Fernandes Pinheiro. O projeto é aprovado pelo Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná (PROFICE) da Secretaria de Estado da Cultura do Governo do Estado do Paraná e recebeu apoio da Havan.

Legenda da foto: Da esquerda para a direita, em pé, Amanda Amaral, Érica Takahashi e Natália Drulla e, sentadas, Cris Betina Schlemmer e Thyane Antunes.

Sobre a Boreal Companhia de Teatro
A Boreal Companhia de Teatro nasceu em 2010 pelas mãos da produtora cultural e diretora Cris Betina Schlemmer e pela atriz Thyane Antunes. A companhia é especializada na elaboração, desenvolvimento e execução de projetos culturais aprovados pelas leis de incentivo (municipal, estadual e federal), com o objetivo de gerar valor aos seus parceiros e fomentar a cultura no país. Ao longo desses anos, montou peças para o público adulto e infantil, priorizando a qualidade artística, técnica e humana nos projetos que realiza. Entre as suas principais realizações estão: O Império da Paixão em Fatias Parcimoniosas, Nina e o Reino das Galochas e Belinkando.


Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens